Sócrates, Brasileiro

image
Capa do livro “Sócrates, Brasileiro”. Lançamento nesta terça.

“… O jogador de futebol é fundamental para o país, muitas vezes é mais ouvido do que o Presidente da República. Tem um compromisso social embutido nele e não sabe, desconhece. É um cara que poderia transformar o país mais rapidamente, até porque normalmente vem de uma condição social deprimente, porém se acomoda. Ninguém afronta o status quo. O sistema continua igual, paternalista, depressivo, minimiza o humanismo, não só do indivíduo, mas da própria sociedade”. Sócrates, em entrevista a Henrique Rodrigues, publicada na revista “Invicto”, nº 14, em 2010.

O diagnóstico do doutor Sócrates continua atual, dois anos depois da entrevista à revista “Invicto” (que também deixou saudade) e um ano após a perda desse grande Brasileiro.

Pensatas sobre futebol e política – dois assuntos que jamais se separam, infelizmente – estão no livro “Sócrates, Brasileiro”. É uma coletânea de 87 crônicas do camisa 8 que era 10 mas também arrasava como 9, na revista “Carta Capital”. O pré-lançamento será na terça-feira que vem, 11 de dezembro, às 19h30, na loja ao lado do Museu do Futebol, no estádio do Pacaembu, onde o doutor brilhou tantas tardes e noites.  O jornalista Juca Kfouri, autor do prefácio, e  o ex-lateral Wladimir, colega de democracia corintiana, vão participar de um bate-papo. O livro chegará primeiro às bancas de Sampa, Rio, Recife, Salvador, BH, Brasília, Ribeirão Preto e Campinas. Preço: R$ 19,90.

Nas bancas

Resvista ESPNBacana a Revista ESPN, que chegou às bancas de Sampa. Formatão da Rolling Stone brasileira, que aliás é da mesma editora, a Spring. No expediente, coleguinhas da já saudosa Trivela, que começou como site (continua no ar) e, nos anos em que bateu seu bolão nas bancas, foi a melhor revista brasileira de futebol. Para os fãs da Trivela, uma opção pode ser a revista…

Continuar lendo “Nas bancas”

Nas bancas

Como vocês sabem, Luxemburgo caiu no Palmeiras. Muricy e Abel são os nomes mais cogitados. Curiosamente, um dia antes da demissão do treinador campeão paulista de 2008, saiu a edição de julho da revista Placar, que chegou às bancas paulistas com pergunta na capa: “Trio de Ferro?” e fotos de Muricy, Mano Menezes e Luxemburgo. A reportagem de Ricardo Perrone e Arnaldo Ribeiro convida o leitor a descobrir “por que nem os três melhores treinadores do país têm estabilidade de emprego”.

Na sua 4ª passagem pelo Palestra Itália, Luxemburgo venceu 60 partidas, empatou 25 e perdeu 25. Somando as quatro passagens – 93/94, 196, 2002 e 2008/09 – são 221 vitórias, 81 empates e 65 derrotas (aproveitamento de 67,5% – infos do Palmeiras.)

Foto Divulgação/VIPCOMM
Foto Divulgação/VIPCOMM

Pelos lados do Morumbi, em tarde fria e chuvosa, Ricardo Gomes estreou com vitória: 2×0 sobre o Náutico. Em Barueri, o Galo mineiro perdeu a invencibilidade -4×2 para o Barueri- mas segue na ponta. De olho na final da Copa do Brasil, o Corinthians perdeu na Arena da Baixada. Furacão 1×0. E de olho na semifinal da Libertadores, o Cruzeiro fez 1×0 no Avaí no Mineirão. Surpresa do sábado: a goleada do Goiás sobre o Bota, em pleno Engenhão: 4×1. Na série B, o Guarani permanece invicto e lidera. Completam o G4: Brasiliense, Atlético Goianiense (3 vitórias seguidas) e a grande rival do Bugre, a Ponte Preta – seguida de muito perto por Lusa e Vasco (6º lugar).

Para saber mais sobre as revistas de futebol, clique aqui. Continuar lendo “Nas bancas”