Thinking Football 2015: um festival de cinema que dá o que pensar.

poster_thinking_football_2015
Em fevereiro, a Fundación Athletic Club e a Sala BBK promovem, lá na bela Bilbao, a terceira edição do Thinking Football Film Festival e tem até filme brasileiro. O festival de cine boleiro bilbaíno começa com “Os Rebeldes do Futebol 2″ (tema do post anterior), a continuação do ótimo “Les Rebelles du Foot”.  Eric Cantona e Gilles Pérez, enolvidos na série dos boleiros rebeldes, também vão encerrar o festival com “Foot et immigration, 100 ans d’histoire commune” (“Fútbol e inmigración, cien años de historia común”), documentário sobre o papel da imigração no futebol francês, na seleção dos Bleus desde 1930 e na sociedade francesa – um tema bem do presente.

Entre as 10 películas escaladas, está o documentário brasileiro “Democracia em Preto e Branco”, que fala muito (mas não só) da democracia corintiana, e também da luta pela abertura e eleições diretas no país e o despertar do Rock Brasil, no começo dos anos 80. Não à toa, a “madrinha” Rita Lee (que é corintiana) narra o filme de Pedro Asbeg, que já foi exibido e premiado em festivais nacionais como o CINEfoot  – na virada do ano, passou direto na ESPN Brasil e ainda pode ser visto no canal Now, da Net, e na internet, no Watch ESPN. Recomendo!


O filme brasileiro sobre futebol, política e rock and roll – que tem Sócrates, Casagrande e Wladimir como personagens centrais – passa em 10 de fevereiro, depois do documentário alemão “Wie im falschen Film” (“Estamos en la película equivocada”), onde o diretor Timiam Hopf trata de racismo, preconceitos e homofobia nas arquibancadas. Depoimentos de atletas como Jérôme e Kevin-Prince Boateng e Gerald Asamoah,

“Sons of Ben” fala de uma década de luta dos fãs de soccer na Filadélfia, para a cidade ter um time na MLS! Goal! Eles conseguiram: o Philadelphia Union!

Continuar lendo “Thinking Football 2015: um festival de cinema que dá o que pensar.”

Santos estampa no peito uma mensagem contra o racismo.

http://www.santosfc.com.br/
http://www.santosfc.com.br/

Sou alvinegro com muito orgulho.

O alvinegro da Vila Belmiro vai jogar com essa frase estampada no peito na partida deste domingo, em Rio Claro, às 18h30. Alusão às ofensas dirigidas ao craque Arouca, em Mogi, na goleada sobre o Sapão. Golaço do time de marketing do Santos.

Aproveito para dar meu pitaco. Bola rolando, alguém grita injúrias contra jogadores ou juiz por causa da cor da pele? Interrompe o jogo na hora. Só volta quando o boca suja for retirado do estádio e levado para uma delegacia. Utópico? Talvez. Algo tem que acontecer. Continuar lendo “Santos estampa no peito uma mensagem contra o racismo.”

Assim não dá mais

  • Quarta-feira, Bento Gonçalves. Durante a partida em que o Esportivo local venceu o Veranópolis, pelo campeonato gaúcho, o juiz Márcio Chagas da Silva foi ofendido. Depois do jogo, ainda encontrou o carro amassado e sujo. Jogaram bananas no capô e até no escapamento, segundo o juiz. O Esportivo lamentou, indicou à polícia dois torcedores que ofenderam Márcio Chagas da Silva, mas como mandante, pode perder  pontos. E amigos do Esportivo, lamento, não adianta espernear.
  • Quina-feira, Mogi Mirim. Durante e depois da goleada do Santos, que enfiou uma goleada de mão cheia (uma #manita, 5×2) no Mogi, o craque Arouca também foi vítima de ofensas raciais.  Arouca publicou uma nota em que dá um olé nos racistas. Sem falar no golaço que fez – a melhor resposta. Aliás, como eu torço pro Cruzeiro dar uma goleada no Real Garcilaso! A Federação Paulista agiu rápido e interditou o estádio do Mogi Mirim.

Para aqueles que mostram sua má educação e falta de sensibilidade em Bento Gonçalves, Mogi Mirim ou qualquer estádio do Brasil, recomendo a leitura de um clássico de Mário Filho, “O Negro no Futebol Brasileiro” (Mauad Editora) – capa abaixo.Vale um curso.o negro no futebol brasileiro

  • 375 pagantes… Público do jogo entre Bonsucesso e Flamengo, time de maior torcida do país, pelo estadual do Rio. Ok, várias desculpas: quarta-feira de cinzas, Data Fifa, dia de jogo do Brasil, foi em Volta Redonda, tarde da noite… Mas… também não dá mais pra manter os campeonatos estaduais do jeito que estão. Assim não tem quem segure nem jogadores médios no Brasil. É amador.  Continuar lendo “Assim não dá mais”