Campions del Món 2011: Barça, bicampeão mundial

fcbarcelona.cat

“Banderín” (flâmula) do Fútbol Club Barcelona, que neste domingo conquistou mais uma copa para sua galeria de títulos (confira rolê do blog pelo Museu do Barça). São treze taças na era Guardiola. Com o 4×0 sobre o Santos do jovem Neymar, campeão da Libertadores, os blaugranas, atuais campeões da Europa e tricampeões da Espanha, levantaram o Mundial de Clubes – o segundo do Barça (que já havia vencido em 2009).
Impactante a maneira avassaladora como o Barça começou a final, com seu costumeiro domínio da posse de bola (nos 90 minutos, 71% ! ), velocidade, contundência e vontade de ganhar o Mundial. Resultado: matou o jogo na primeira etapa. Messi, Xavi e Fàbregas praticamente definiram a partida. 3 a 0 nos primeiros 45 minutos.
Quando o Santos acordou, era tarde.
Messi ainda fez mais um. 4×0.

Parabéns à torcida do Santos, que não deixou de apoiar o time. Deu show em Yokohama. Continuar lendo “Campions del Món 2011: Barça, bicampeão mundial”

Mundial de Clubes 2011: Santos x Barcelona na final!

ATUALIZADO EM 15 DE DEZEMBRO DE 2011
Veja o calendário do Mundial, disputado em duas cidades japonesas, entre 8 e 18 de dezembro (em negrito, jogos da chave do Santos).

  • 8/12 – Kashiwa Reysol 2×0 Auckland City-na cidade de  Toyota
  • 11/12 – Kashiwa Reysol 1×1 CF Monterrey (Rayados); 4-3 para o time japonês nos pênaltis
  • 11/12 – Esperánce Sportive de Tunis 1×2 Al-Sadd – em Toyota

Semifinais:

  • 14/12 – Kashiwa Reysol  1×3 Santos – em Toyota
  • 15/12 – Al-Sadd 0x4 Barcelona – em Yokohama

Final:

  • domingo, 18/12 – Santos x Barcelona – em Yokohama

“A Bola Não Entra por Acaso”

Imagine Santos de Neymar, Ganso e companhia x Barcelona de Messi, Xavi, Iniesta e co. na final do Mundial de Clubes, que em 2011 volta ao Japão. Seria show, seria 10… Fãs do futebol ofensivo do Barça e do futebol “discotèque, livre, leve e solto” (copyright Osmar Santos) dos Meninos da Vila 3G devem estar esfregando as mãos de contentamento, esperando uma eventual decisão como essa – e os torcedores do Peixe começando economizar para atravessar o mundo e torcer pelo tri também do Mundial, in loco. Pois bem: que golaço aço aço marcou o Santos ao fazer o possível e o impossível para segurar Neymar e Paulo Henrique Ganso na Vila famosa. Deu no que deu: Taça Libertadores nas mãos do capitão Edu Dracena – e no Memorial das Conquistas do Santos. Tomara que consigam manter o 10 e 11 alvinegros pelo menos até enfrentar o 6, o 8 e 10 blaugranas
Feito do clube a ser ainda mais louvado se a gente notar que o Santos não tem a maior torcida do Brasil, não tem os maiores patrocínios, não tem as maiores verbas de TV. Por outro lado, os 77 km de distância do eterno rame-rame de briguinhas do Trio de Ferro da capital talvez ajudem o Santos Futebol Clube a fazer o que faz melhor: revelar e aproveitar jogadores da base e jogar bola. Jogar muita bola.
O título deste post é uma referência a um livro -mais de gestão e negócios do que sobre bola-, mas muito interessante para saber como um dos adversários do Santos no Mundial de Clubes 2011 saiu da 13ª posição entre os times mais ricos da Europa para disputar o topo desse ranking com o arquirrival madrilenho. Sim, porque em Ligas Espanholas e Champions League, o Barcelona tem nadado de braçada nos últimos anos. Editado aqui pela Larousse, A Bola Não Entra por Acaso (La Pilota No Entra per Atzar, no título original, em catalão) foi escrito pelo empresário e consultor Ferran Soriano, vice-presidente econômico do Barça, nos cinco primeiros anos da retomada. Ajudou-me a entender como o Más que un Club que eu vi festejar como título um quarto lugar na liga espanhola 2000/2001, com um show de Rivaldo nos 3×2 sobre o Valencia (porque representava classificação para a Champions) se tornou esse bicho-papão de títulos na Espanha e Europa. Continuar lendo ““A Bola Não Entra por Acaso””