Cinco vezes Grêmio, o maior campeão da Copa do Brasil.

Distintivo antigo do Grêmio (estilo usado até os anos 60)

Saudamos o Grêmio Foot-ball Porto Alegrense, maiúsculo campeão da Copa do Brasil 2016, o primeiro título na Arena do Grêmio. E quinto título de Copa do Brasil gremista. O último tinha sido há 15 anos. Foi também o primeiro campeão da Copa, em 1989 (na Série A do Brasileirão, o Grêmio tem 2 títulos: 1981 e 1996. Na Série B, o de 2005).

O título de 2016 foi praticamente garantido com o 3×1 no Mineirão. No meio da decisão, houve o acidente com o avião que levava a Chapecoense. Na Arena do Grêmio, em clima de muita emoção, jogo tenso, disputado, 1×1, gol do equatoriano Bolaños a 3 minutos do fim do tempo regulamentar e golaço lá do círculo central do também equatoriano Juan Cazares.

Na campanha campeã, o Grêmio passou por vários times copeiros: Palmeiras (3 copas), Cruzeiro (4 copas) e o o Galo (1 copa). Confira a trajetória e a lista com todos os vencedores da Copa do Brasil:

Continuar lendo “Cinco vezes Grêmio, o maior campeão da Copa do Brasil.”

Algumas coincidências entre os campeões da Libertadores e da Champions League em 2012

A de 2012 é do Corinthians

No ano 102 de sua história, o Sport Club Corinthians Paulista entrou para o clube dos campeões da Libertadores (agora são 23 integrantes). Campeão invicto, com todos os méritos, logo contra o bicho-papão Boca, que jogou pouco e bateu muito (especialmente Santiago Silva e Ervitti) na segunda partida da final, no Pacaembu. Curioso é que o Corinthians já teve times muito mais galáticos do que este, mas só conseguiu o título tão cobiçado com um time de operários, de guerreiros. Um Timão de muita obediência tática e marcação. Um Timão com espírito de Libertadores. Parabéns, Tite -que também entrou de vez no rol dos grandes técnicos brasileiros. Parabéns à diretoria, que de boba não tem nada. Em cinco anos, saiu de um pesadelo para toda a glória da Libertadores. E colhe agora os frutos da manutenção do treinador. Parabéns ao bando de loucos. Em resumo: título esperado, brigado, merecido.

Nesta reta final, 1×1 arrancado em plena Bombonera e 2×0 no Pacaembu, notei algumas coincidências entre o Corinthians, agora campeão da Libertadores, e o Chelsea, vencedor da Champions League – clubes que podem se encontrar em dezembro -se não houver nenhuma zebra na semifinal- no Mundial de Clubes, que será disputado no Japão entre 8 e 18 de dezembro.

  •  Corinthians e Chelsea são dois times de tradição, torcida, muita grana, donos de títulos nacionais, mas até 2012 não tinham o maior título de seus continentes: Libertadores e Liga/Copa dos Campeões.
  •  Nas semifinais, ambos derrotaram os atuais campeões de seus continentes, algo favoritos: o Corinthians eliminou o Santos de Neymar e o Chelsea eliminou o Barcelona de Messi e cia ilimitada.
  • Nas finais, Corinthians e Chelsea derrotaram grandes colecionadores das copas: o Boca Juniors, seis Libertadores, e o Bayern de Munique, quatro Ligas/Copas dos Campeões.
  • Ambos tinham poucos jogadores “feitos em casa”, nenhum entre os titulares que entraram jogando as finais. O que em nada diminui a conquista.Pelo contrário, dadas as adversidades, o tamanhos dos rivais que foram caindo nas fases de mata-mata (o Corinthians derrubou Vasco, Santos, Boca; o Chelsea derrotou Napoli, Barça, Bayern).

Bom, em nome da emoção, tomara que tenhamos Corinthians x Chelsea na final da Copa do Mundo de Clubes.  Imagine só a invasão corintiana no Japão…