Clássico da Paz

Peço emprestado o apelido do clássico entre Vasco e América do Rio, o Clássico da Paz, para falar das iniciativas do Santos e do São Paulo nas redes sociais, antes do #SanSão do Paulistão 2015, na Vila; do Sport e da agência Ogilvy Brasil, no Clássico dos Clássicos contra o Náutico, pelo campeonato pernambucano; e dos gaúchos para o próximo #GreNal no Beira-Rio.
Praticamente ao mesmo tempo, as contas oficiais do Santos e do São Paulo no Twitter compartilharam uma arte pedindo paz no futebol.

Continuar lendo “Clássico da Paz”

“Lampions” League | Copa do Nordeste 2014

Publicado em 17 de janeiro de 2014

1495442_10152195801892640_843876594_nPotiguar de Mossoró e Treze abrem daqui a pouco a Copa do Nordeste. O #Nordestão também é carinhosamente chamado de #LampionsLeague – referência ao formato da Copa, com uma fase de grupos e depois, mata-mata! Ao campeão, uma vaga na Sul-Americana  2014 (isso mesmo, ainda este ano, segundo o site da CBF) – e a taça, claro!

Surpresa é a ausência do Fortaleza, do ABC e do Campinense, atual campeão da Copa, entre os 16 participantes, divididos em 4 quatro grupos de quatro (o desempenho nos estaduais decide a vaga). Pena que os estados do Piauí e do Maranhão continuem fora.

  • O Grupo A tem times do RN, de SE e da BA: América de Natal, Confiança, Sergipe e Vitória.
  • O Grupo B tem clubes da BA, de AL e de PE: Bahia, CSA, Santa Cruz (o Santinha foi campeão brasileiro da série C 2013) e Esporte Clube Primeiro Passo (Vitória da Conquista).
  • No Grupo C, times de CE, AL, RN e PB: Ceará, CRB, Potiguar de Mossoró e  Treze.
  • No D, clubes da PB, do CE, e PE (vamos ter um Clássico dos Clássicos). Botafogo da Paraíba, campeão da série D, Guarany de Sobral. Náutico e Sport.

O site da CBF (organizadora da copa) tem a tabela, rodada a rodada. A lista de todos os campeões, dentro do post. Continuar lendo ““Lampions” League | Copa do Nordeste 2014″

Último capítulo

O Brasileirão 2012 chegou ao fim com o Atlético Mineiro fazendo muita festa pelo vice-campeonato, que garantiu vaga direta para a Libertadores 2013 – como o campeão, Fluminense, o Corinthians (campeão da Libertadores 2012) e o Palmeiras (Copa do Brasil) – os tricolores gaúchos e paulistas vão ter que passar pelo vestibular da pré-Libertadores.

Festa nos Aflitos, tristeza pelos lados da Ilha do Retiro. No Clássico dos Clássicos, o Náutico venceu por 1×0 e rebaixou o rival Sport – apesar do goleiro Saulo ter pego até pênalti. Tinha torcedor do Timbu com cartaz A, B, C – Náutico na primeira, Sport na segunda, Santa na terceira divisão. O Leão se juntará a Palmeiras, Atlético Goianiense e Figueirense na Série B.

Festa no Pacaembu, hoje tricolor. De olha na final da Sul-Americana, que começa no meio da semana contra o Tigre na Bombonera,  o São Paulo poupou os titulares, rodou quem não estava jogando e se deu bem. Venceu o Majestoso por 3×1, embora no final do primeiro tempo o trio de arbitragem tenha prejudicado o Corinthians. Com Ney Franco, o São Paulo voltou a vencer clássicos, voltou à uma final (Sul-Americana) e voltou a disputar a Libertadores depois de dois anos. E – quem diria no primeiro semestre? – acabou como melhor campanha do segundo turno (troféu João Saldanha, do Lance!). E o desabafo do Casemiro, hein? Que situação! Mas se até o capitão Rogério Ceni levou uma dura do treinador, o jovem reserva não ganhará vaga no grito.

No Olímpico Monumental, “mixed emotions”. Com o empate no Gre-Nal, o Grêmio perdeu o vice para o Galo. Mas a torcida se emocionou mesmo após o apito final. Se no post anterior, a torcida do San Lorenzo se emociona ao garantir o direito de voltar ao bairro de origem, hoje vimos os gremistas chorando de emoção ao se despedir do Olímpico Monumental, que foi sua casa por 58 anos. Teve até avalanche – e não só na geral atrás do gol. Em todo a volta do estádio Último capítulo do estádio inaugurado em 19/09/1954, que sucedeu a Baixada e será sucedido pela state-of-the-art Arena do Grêmio.

Fevereiro de 2012: um dos últimos Gre-Nais no Olímpico Monumental, pelo campeonato gaúcho.
Fevereiro de 2012: um dos últimos Gre-Nais no Olímpico Monumental, pelo campeonato gaúcho.

Agueeenta coração!

… diria Fiori Gigliotti, saudoso locutor esportivo do rádio paulista.
Ninguém pode reclamar de falta de emoção no nono Brasileirão disputado por pontos corridos.
Não tem uma final.
Tem duas “finais”, simultâneas, isso só falando da última rodada (o que houve em Floripa e no Engenhão, se não foram “finais”?). E da briga pelo título.
Pois a 38ª rodada do Brasileirão 2011, tão lotada de clássicos que dois deles vão ser disputados fora de suas cidades originais, nos reserva:

  • um Derby paulista valendo título, de um lado, e salvar a temporada, do outro, no Pacaembu
  • um Clássico dos Milhões no Engenhão que vale título para o lado cruzmaltino e vaga na Libertadores para os rubro-negros
  • um AtleTiba de arrepiar na Arena da Baixada, onde está em disputa uma vaga na Libertadores e a fuga do rebaixamento
  • um GreNal no Beira-Rio que pode valer vaga na Libertadores para os colorados
  • um Avaí x Figueirense na Ressacada em que os visitantes tentam a Libertadores
  • um San-São esvaziado  em Mogi Mirim, em que o tricolor joga suas derradeiras chances de Libertadores
  • um Clássico Vovô em Volta Redonda, onde o Fogão também joga suas últimas fichas para tentar a principal Copa do continente, e o tricolor entrar direto na fase de grupos da cobiçada taça
  • e por último, mas não menos importante, um Cruzeiro x Atlético de arrepiar em Sete Lagoas, onde o Galo já salvo, pode rebaixar o arquirrival Continuar lendo “Agueeenta coração!”

AtleTiba, Majestoso, Clássico Vovô, das Multidões e os apelidos de outros dérbis brasileiros.

Segundo o site do XV de Piracicaba, foi o jornalista Tomaz Mazzoni quem batizou de “Nhô Quim” o mascote do clube. Mazzoni também criou apelidos de outros times e de clássicos paulistas. Aproveito a rodada do Brasileirão com clássicos estaduais para publicar de novo a lista com nomes e apelidos de alguns dos grandes clássicos estaduais – e até municipais. Muitos desses grandes encontros já inspiraram edições especiais de revistas e livros. Não quis eleger aqui os maiores clássicos nacionais, coisa que já foi feita pela revista Trivela. A lista se refere aos clássicos que têm nomes ou apelidos como Fla-Flu, Gre-Nal, Clássico dos Clássicos, dos Milhões, das Multidões etc, mas não é definitiva. Aceito sugestões. Atualizado com as dicas dos amigos do Maranhão e do Domingos D ´Angelo, do MemoFut.

  • AtleTiba: Atlético Paranaense x Coritiba. Há um livro, “AtleTiba, a Paixão das Multidões”, de Vinícius Carneiro e Coelho Neto, editado pela prefeitura de Curitiba, em 1994.
  • Ba-Gua: Clássico de Bagé (RS), entre o Grêmio Esportivo Bagé e o Guarany.
  • Ba-Vi: Bahia x Vitória.
  • Botauto: clássico de João Pessoa, entre o Botafogo-PB e o Auto Esporte.
  • Bra-Pel: clássico de Pelotas (RS): Brasil e Pelotas. Livro: “A História dos Bra-Péis”, de Sérgio Augusto Gastal e Mário Gayer do Amaral (editado pela Signus em 2008).
  • Ca-Ju: Caxias x Juventude. Vejo no Futebooks que há um livro, “Clássico CA-JU: Paixão e Rivalidade“. De Gustavo Côrtez. Capa belíssima, abaixo.
  • Choque-Rei: o clássico entre Palmeiras x São Paulo, apelidado assim pelo jornalista Tomaz Mazzoni, do jornal “A Gazeta Esportiva”. Agora é tema de livro: “Palmeiras x São Paulo – As Histórias do Choque-Rei (confira mais neste post aqui).
  • Clássico da Amizade: Botafogo x Vasco.
  • Clássico da Amizade (PE): Santa Cruz x América-PE
  • Clássico da Leopoldina: Olaria x Bonsucesso.
  • Clássico da Saudade: encontrei essa referência na internet para designar Palmeiras x Santos. Veja a explicação de Juca Kfouri sobre a expressão.
  • Clássico da Paz: América-RJ x Vasco.
  • Clássico da Paz – Ceará x Ferroviário.
  • Clássico da Técnica e da Disciplina: Náutico x América-PE
  • Clássico das Cores: Ferroviário x Fortaleza. Dois tricolores.
  • Clássico das Emoções: Náutico x Santa Cruz.
  • Clássico das Multidões (MG): América-MG x Atlético-MG.
  • Clássico das Multidões (PE): Santa Cruz x Sport, times da massa em Pernambuco.
  • Clássico das Praias: Santos x Portuguesa Santista. Dica do Marcos.
  • Clássico de Ouro: outro velho clássico de Salvador, Galícia x Ipiranga, segundo o site Clássico É Clássico.
  • Clássico do Café, no norte do Paraná: Londrina x Grêmio Maringá, dica do Marcos.
  • Clássico do Interior, em Santa Catarina: Criciúma x Joinville
  • Clássico dos Campeões: Sport Recife x América-PE
  • Clássico dos Clássicos: Náutico x Sport, considerado o mais antigo do Nordeste. E o 3º do Brasil, atrás apenas do Clássico Vovô e do Gre-Nal. Como lembra o Maurício Targino, do BlogSport, as emoções de Timbu x Leão são contadas no livro “Clássico dos Clássicos – 100 Anos de História”, do Carlos Celso Cordeiro, Lucídio José de Oliveira e Roberto Vieira. Uma capa para torcedores do Sport, outra para os do Náutico. As capinhas abaixo saíram no Blog do Cassio Zirpoli, do Diário de Pernambuco.
  • Clássico dos Gêmeos: Esporte Clube União Suzano x União Suzano Atlético Clube
  • Clássico dos Maiorais: Campinense Clube x Treze fazem o derby de Campina Grande. O Clássico dos Maiorais foi assim batizado pelo locutor Joselito Lucena. Tema de reportagem no nº 2 da revista Fut, editado pelo Lance!
  • Clássico dos Milhões: Flamengo x Vasco. Livro: “Flamengo x Vasco”, de Roberto Asssaf e Clovis Martins (Relume Dumará, 1999).
  • Clássico Imperial: Imperatriz x JV Lideral. De Imperatriz (MA).
  • Clássico Rei: Ceará x Fortaleza. Livro: “Grandes Clássicos Reis da História – Ceará x Fortaleza”, de Airton de Farias e Vagner de Farias (Edições Livro Técnico, 2006).
  • Clássico Rei: ABC x América, o derby de Natal.
  • Clássico Tradição: dérbi paraibano entre o Botafogo-PB (de João Pessoa) e o Treze (Campina Grande).
  • Clássico Vovô: Botafogo x Fluminense, o mais antigo do Brasil. Segundo o site Livros de Futebol, há o livro “Clássico Vovô”, de Alexandre Mesquita e Jefferson Almeida.
  • Come-Ferro: clássico do interior paulista, entre Comercial de Ribeirão Preto e Ferroviária de Araraquara.
  • Come-Fogo: o clássico de Ribeirão Preto entre Comercial e Botafogo. Segundo o livroBotafogo – Uma História de Amor e Glórias, de Igor Ramos, que traz uma lista dos Come-Fogos até 2008, o apelido foi dado pelo jornalista Lúcio Mendes em 1954.

  • Derby: Corinthians x Palmeiras. Há o livro de Antonio Carlos Napoleão,Corinthians x Palmeiras – Uma História de Rivalidade”. Sem falar no livro recém lançado pelo Aldo Rebelo, que trata especialmente de um amistoso de 1945.
  • Derby campineiro: Guarani x Ponte Preta.
  • Derby do Cerrado: Goiás x Vila Nova, o derby goiano.
  • DeRB: Desportiva x Rio Branco, clássico capixaba, dica do Cesar.
  • Fer-Vo: Fernandópolis x Votuporanguense.
  • Fla-Flu: Flamengo x Fluminense, claro, jogado desde 1912. Há referências como Clássico das Multidões também. Seu Domingos D´Angelo do MemoFut indica 2 livros: “Fla-Flu: O Jogo do Século”, de Roberto Assaf e Clovis Martins, editado pela Letras & Expressões, em 1999. E “Fla-Flu… E as Multidões Despertaram”, de Nelson Rodrigues e Mario Filho (Edição Europa, 1987). E agora, o filme “Fla x Flu – 40 Minutos Antes do Nada”
  • Goyta-Cano: clássico de Campos (RJ), entre Goytacaz e Americano.
  • GreNal: Grêmio x Internacional. Há o livro “A História dos GreNais”, texto de David Coimbra e mais 3 autores, na edição atualizada dos 100 anos do grande clássico gaúcho, publicada pela LP&M Editores.
  • Juve-Nal: Juventus e Nacional de São Paulo.
  • Juve-Nal (RS): Juventude x Internacional.
  • Majestoso: Corinthians x São Paulo. Outra criação do jornalista Tomaz Mazzoni.
  • Mare-Moto: Maranhão x Moto Clube.
  • Pai e Filho, ou Pai-Filho: Nacional FC e Nacional Fast Clube, pai e filho, quer dizer, o Fast é uma dissidência do Nacional.
  • Rio-Nal (AM): clássico manauara, Atlético Rio Negro x Nacional.
  • Rio-Nal (RS): é o clássico de Santa Maria (RS), Riograndense x Internacional de Santa Maria.
  • Rai-Fran: São Raimundo x São Francisco, o derby de Santarém (PA).
  • Re-Pa: Remo x Paysandu, também conhecido como Clássico-Rei da Amazônia. Tema do livro “Remo x Paysandu – O Clássico mais disputado do futebol mundial”, de Ferreira da Costa.
  • RiVengo: River (PI) x Flamengo (PI). Em livro: “Rivengo – O Clássico do Século”, de Severino Filho Buim, editado pelo autor, em 2001.
  • SAC-Dino: Sumaré Atlético Clube x Paulínia FC, o “Dino Paulino”
  • SaMará: Sampaio Corrêa x Maranhão AC também é conhecido como Clássico Vovô, por ser o mais antigo do estado.
  • San-São: Santos x São Paulo.
  • Super Clássico: Moto Clube x Sampaio Corrêa
  • Vi-Rio. Vitória x Rio Branco, clássico capixaba. Continuar lendo “AtleTiba, Majestoso, Clássico Vovô, das Multidões e os apelidos de outros dérbis brasileiros.”