Cruzeiro 2014. Tudo azul pros lados da Toca da Raposa.

10557369_765955183463792_1830283084237699970_nO Cruzeiro, atual campeão brasileiro – e líder do atual campeonato – comemorou a marca de 60.000 sócios-torcedores (programa Sócio do Futebol). Muito bom. No Brasileirão 2013, em que levantou o título, a Raposa teve média de 28.911 pessoas como mandante, segundo relatório da Pluri Consultoria.10481881_746000585459252_8466686648566353678_n

  • IN>: Manoel (zagueiro, Atlético Paranaense); Neílton (atacante, ex-Santos), Marquinhos (ex-Vitória), Willian (ex-Metalist)
  • OUT<: Wallace (Braga), Elbert (Coxa), Luan (Al Sharjah)
  • Cinco (das muitas) estrelas da companhia: Fábio, Dedé, Éverton Ribeiro, Ricardo Goulart, Marcelo Moreno.
  • Ainda se dá o luxo de ter: Dagoberto, Júlio Baptista, Tinga, Borges.
  • Jovens: Lucas Silva, Alisson
  • Técnico: Marcelo Oliveira
  • Estádio: o Cruzeiro manda seus jogos no estádio do Mineirão. Média de público no BR-2013 segundo a Pluri: 28.911 cruzeirenses/jogo, 70º lugar no ranking mundial. Taxa de 50% de ocupação do Mineirão.10509704_764055696987074_4354788629080284919_n
  • Uniformes: em abril, a Olympikus apresentou as camisas 1 e 2: a azul e a branca. Com as tradicionais cinco estrelas soltas no lado esquerdo do peito e o scudetto de campeão brasileiro no centro.

    Este slideshow necessita de JavaScript.

Continuar lendo “Cruzeiro 2014. Tudo azul pros lados da Toca da Raposa.”

Um domingo no estádio

“Bola na trave não altera o placar”, já diziam o cruzeirense Samuel Rosa e o tricolor Nando Reis. O São Paulo mandou três petardos no poste, na quinta vitória seguida no Brasileirão 2009, 3 a 1 sobre o Goiás, e por um dia pintou pela primeira vez na temporada no G4 – pelo menos até o apito final da peleja Internacional x Sport, nesta segunda-feira.

Jorge Wagner voltou a ser "o cara", com assistência e gol. FOTO divulgação VIPCOMM
Jorge Wagner voltou a ser "o cara", com assistência e gol. FOTO divulgação VIPCOMM

Pitacos sobre curiosos comportamentos de torcedor.

  • Tem sempre um mais exaltado chamando de tudo quanto é adjetivo o centroavante fixo na área. Aí o cara vai lá e faz o gol aos 46 do primeiro tempo. Sai aplaudido. Claro que estou falando do Washington. Mas poderia ser de outro centroavante trombador – e fazedor de gols, como foi Serginho Chulapa.
  • Cartão vermelho é festejado quase como gol.
  • Richarlyson voltou a jogar bem, como volante. Foi o responsável por uma das bolas na trave e em outros dois lances teve chances de ampliar. Mas a torcida se “esquece” de cantar o nome dele. Injusto.
  • 30 mil pessoas pagaram ingresso no Morumbi. A expectativa do São Paulo era maior. Mas o torcedor precisa de mais razões para ir com a família ao estádio, além da promessa de um bom futebol. O acesso ao Morumbi será difícil até pelo menos a inauguração da estação de Metrô perto do Shopping Butantã. Estacionamento? Não sai por menos de 30 reais. A menos de meia hora do começo do jogo, havia filas gigantescas nas bilheterias. A impressão é que o estádio do Morumbi está ficando cada vez mais elitista, com camarotes tomando conta do que antes era a geral. Cada dia mais. OK, é justo oferecer um produto que atraia gente com poder aquisitivo. Mas o torcedor que paga 40 reais a inteira, 20 a meia, para levar a família na chamada geral vermelha, poderia ter direito a uma lanchonete também… não apenas uns poucos vendedores ambulantes… Banheiros limpos e de fácil acesso não deveriam se restringir aos VIPs… E por que tantos claros no estádio?Por que não oferecer os setores de menor visibilidade, atrás do gol por exemplo, por preços realmente populares? A Copa é em 2014, legal que os estádios sejam modernizados, mas o torcedor que comparece e ajuda ao time em 209, 2010, 2011, 2012, 2013… merece um bom tratamento. É só tratar bem que ele volta – e traz mais gente.

Feliz ano novo, tricolor. Feliz 2009, Adriano

Estamos no último dia de maio e finalmente o São Paulo venceu e convenceu. 3×0 num adversário de muito respeito, o Cruzeiro, campeão mineiro. Se bem que desconfio que o Cruzeiro está é preocupado com o jogo de volta da Libertadores, 17 de junho, no mesmo Morumbi. Que hoje recebeu 51.800 pessoas. Jogo com (boa) promoção, é verdade, mas o grande público desmente aqueles que vivem criticando a torcida são-paulina, por não ir ao estádio, não dar bola pro Brasileirão. É só trabalhar bem o marketing que vem, sim.  Muricy surpreendeu na escalação, com Borges, Marlos e Junior Cesar. Deixou no banco Dagoberto, Jorge Wagner (!) e Hernanes (que realmente não vive boa fase). Se o elenco precisava de um choque, ver barrados dois heróis das últimas conquistas, como J.Wagner e Hernanes, a estratégia de Muricy funcionou. Tudo bem que o primeiro gol foi meio achado, mas valeu a insistência de Washington, agora com 100 gols em Brasileirões.

FotoDivulgação/VIPCOMM
FotoDivulgação/VIPCOMM

O veloz Marlos estreou muito bem. Pela direita acionou Zé Luís, outro destaque, que cruzou para Borges fazer 2×0. Gol comemorado com saltos mortais e explosão de alegria pelo artilheiro. No segundo tempo, o tricolor cozinhou o jogo, se defendendo com até 7 jogadores, formando autênticos bloqueios na área. Num contragolpe iniciado pelo goleiro Denis, Dagoberto (que entrou no lugar de W9) fez o terceiro gol (veja os 3 gols no GloboEsporte.com). Outro que foi bem: Eduardo Costa, que muitos consideram brucutu. Jogou ali na cabeça-de-área, praticamente como um líbero à frente dos três zagueiros. O tricampeão brasileiro acordou? Já não era sem tempo. Resta saber se jogará assim na volta das oitavas da Libertadores, contra o mesmo Cruzeiro, no mesmo bat-estádio.

Em outro jogo de grande público, Flamengo 2×1 Atlético Paranaense. 71 mil pessoas viram a reestreia de Adriano com a camisa do Flamengo. E foram brindados com um gol do imperador (veja). É o ano dos camisas 9? O Brasileirão vai pegar fogo? A questão é que o líder Internacional venceu mais uma (2×0 no Avaí) e, mesmo de olho na Copa do Brasil, segue 100% no campeonato. O Vitória conseguiu vitória suada e importante sobre o Grêmio e está em segundo, 3 pontos atrás do Colorado. Na Vila, o Peixei derrotou os reservas do Corinthians e também está no G-4, como o Náutico, que empatou com o Flu. O Galo deu uma brecada, ao empatar com o Santo André, sábado, no Mineirão. Obina marcou pelo Palmeiras, que ficou no 2×2 com o Barueri do Pedrão.

COPA 2014 – Confirmadas as 12 cidades que devem receber jogos da copa. Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Curitiba,  Fortaleza, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio, Salvador e São Paulo.  Hoje no Morumbi o povo participou da festa do anúncio de São Paulo como uma cidade-sede, com a troca de quilo de alimento por ingresso. A questão é saber se na Copa 2014 o povo brasileiro terá vez no estádios. Pelo menos isso. Porque a conta de tanta obra certamente sobrará para o bolso do contribuinte.

No ar, as semifinais

  Jogão na Vila Belmiro, goleada no Maracanã. O Botafogo de Ney Franco derrotou o Vasco por 4×0 (veja!) e está a apenas uma vitória de levantar a Taça Rio e também o Estadual 2009 – porque já ganhou a Taça GB. Estadual 2009 que acabou para o Vasco da Gama. É levantar a cabeça e se preparar para conquistar a Série B.

  Na Vila famosa, Keirrison mostrou seu faro fino de gol no primeiro tempo. O problema para o Palmeiras é que Kléber Pereira também mostrou. O menino Neymar fez 2×1 (veja!). E Fábio Costa ajudou a decidir o jogo, com ótimas defesas. Agora é o Santos que pode empatar sábado que vem, no Palestra Itália.

  Domingo de Fla-Flu no Maraca. Decide quem continua lutando pelo 31º título do Rio, contra o Botafogo, que assistirá de camarote.

  K9, Kléber Pereira… o 9 está na moda. Quem vai levar a melhor no Pacaembu? O Corinthians de R9 ou o São Paulo de w9? Ronaldo ou Washington? Ou ainda Borges, camisa 17 cada vez merecedor de uma 9. São 11 contra 11 e muita gente pode decidir o jogo, inclusive os que estão no banco, se é que me entendem.

No Rio, em São Paulo, onde rolar clássico, tenham todos muita calma nesta hora! Boa Páscoa!

Duas vezes Borges

FOTO Gaspar Nóbrega/VIPCOMM
FOTO Gaspar Nóbrega/VIPCOMM
O São Paulo está na fase de mata-mata da Libertadores. A classificação foi garantida com a segunda vitória sobre os uruguaios do Defensor, na véspera da Sexta-Feira Santa num Morumbi ocupado por 47 mil tricolores. O São Paulo começou errando muitos passes, insistindo em jogar pelo meio, contra um Defensor com 6 atrás, um certo nervosismo por atuar só com 2 zagueiros, em vez de 3. O Defensor – que desperdiçou inúmeras chances no jogo de Montevidéu- abriu o placar numa falha de Rogério Ceni. No segundo tempo, o São Paulo voltou mais ligado, mas a bola não entrava… Dagoberto entrou no lugar de Zé Luís e pôs fogo no jogo, desta vez passando a bola para os companheiros. Numa jogada de Dagol, quase que Washington empatou. A bola encobriu o goleiro e caprichosamente beijou o travessão. Mas Borges é o cara. Muito bom na área. Em posição de impedimento, o camisa 17 aproveitou o toque de cabeça de André Dias e empatou. Logo depois, virou pra cima do zagueiro e virou mesmo. Virou o jogo! Muricy, cada vez mais aplaudido pela torcida tricolor, ousou e garantiu os 3 pontos. Ah, a arbitragem? Muito ruim. No domingo, o São Paulo encara o Corinthians no Pacaembu e no meio da semana joga em Medellin, contra o Independiente.
Na quinta-feira de Libertadores, o colecionador de copas Boca Juniors conseguiu sua 4ª vitória. 3×1 contra o Guarani, do Paraguai, na Bombonera. Em Quito, pelo grupo de Sport e Palmeiras, a LDU ia vencendo o Colo-Colo até ceder o empate, no finalzinho.