Figurinhas

Edu, reforço colorado. FOTO Lucas Uebel VIPCOMM
Edu, reforço colorado. FOTO Lucas Uebel VIPCOMM

Grande reforço com anos de experiência na Espanha, mas nascido em Jaú. Luís Eduardo Schmidt, o Edu, fazia na quarta-feira apenas sua segunda partida pelo Internacional, mas foi decisivo. Marcou dois dos três gols da vitória colorada sobre o Atlético Mineiro, que valeu ao Inter o título simbólico de “campeão de inverno” (e o troféu Osmar Santos, dado pelo diário Lance! ao vencedor do 1º turno do Brasileirão). Edu começou no XV de Jaú e começou a brilhar no São Paulo, onde participou (e bem) das campanhas vitoriosas nos Paulistões de 98 e 2000. Foi vendido muito jovem para o Celta de Vigo, onde jogou de 2000 a 2004. Depois, atuou no Real Bétis, de Sevilla. Um grande time que tem oscilado entre a elite e segundona da Espanha. No Bétis, Edu foi campeão da Copa do Rey em 2005 e seus gols salvaram o time do rebaixamento em 2006/07. Mas o Bétis voltou a cair – hoje disputa a segunda divisão espanhola. E Edu foi repatriado pelo Inter, atento às boas oportunidades.

O outro personagem da rodada de meio de semana é um zagueiro, o zagueiro artilheiro (27 gols pelo Corinthians). Chicão, nome de jogador valente. Aliás, Chicão e o filho agora corinthiano de um grande santista. Na quarta-feira, antes do Grande Jogo no Pacaembu, meu amigo santista me contou que o filho de 6 anos tinha trocado o São Paulo pelo Corinthians e só queria saber de Chicão, Chicão, Chicão. Foi no pequeno torcedor que pensei quando Chicão fez gol contra, sem querer, diga-se. Foi no pequeno torcedor que pensei quando Chicão virou o clássico, aos 43 minutos do segundo tempo. Dois para o Corinthians de Chicão e agora do menino de 6 anos, um para o Santos do pai dele.

Continuar lendo “Figurinhas”

Thin Lizzy

lizzy front_coverThe Boys are Back in Town”. Mesmo que você não conheça a ótima banda irlandesa Thin Lizzy, é grande a chance de já ter ouvido esse rock, no rádio, em trilhas de filmes, como “Toy Story” (no caso da animação da Pixar/Disney, o clássico do Thin Lizzy foi usado em trailers). É boa também a chance de você ter ouvido sucessos do Thin Lizzy regravados por nomes como Metallica (“Whiskey in the Jar”, presente em “Garage Inc” que teve clip e tudo), Iron Maiden (“Massacre”, lado B do single “Can I Play With Madness”), Smashing Pumpkins (“Dancing with the Moonlight”, lado B do CD single “Disarm”). Como a banda de Phil Lynott acabou em 1983 e poucos discos foram lançados no Brasil, infelizmente o Thin Lizzy não é conhecido como deveria por aqui. E como deveria: junto com o Judas Priest, os irlandeses ajudaram a consolidar o formato de duas guitarras-solo. E como Lynott “lançou” grandes nomes da guitarra! Continuar lendo “Thin Lizzy”