Bola de Ouro 2016: e os indicados são…

O prêmio Bola de Ouro, em 2016, volta a ser apenas da revista “France Football“, que divulgou hoje os 30 indicados. Só para variar (só que não), todos os indicados atuam em clubes europeus. Neymar é o único brasileiro da lista. Argentina e França têm quatro na lista cada: Messi, Agüero, Dybala e Higuaín representam a albiceleste e Griezman, Pogba, Payet e o goleiro Lloris representam a Équipe de France. Da Alemanha, campeã do mundo, há 3 indicados: Kroos, T. Müller e o goleiro Neuer.  Mesmo número de espanhóis (Iniesta, Ramos e Koke) e portugueses, campeões da Euro: o goleiro Rui Patrício, o zagueiro Pepe e o CR7.

Dificilmente o Ballor d’Or não ficará novamente com Cristiano Ronaldo, que além de campeão da Euro, ganhou mais uma Champions pelo Real Madrid – os blancos têm mais cinco jogadores na lista (o decisivo Sergio Ramos, Pepe, Modric, Kroos e Bale.

Messi, Suárez, Neymar e Iniesta representam o Barça no prêmio.

Continuar lendo “Bola de Ouro 2016: e os indicados são…”

Deu La Roja. Na Copa América.

Chile 2016 (Nike)
Chile 2016 (Nike)

La Roja é a bicampeã da Copa América. É o apelido da seleção do Chile, adotado até no Twitter oficial. A albiceleste Argentina pode ter o melhor do mundo, que mandou no rio Hudson sua cobrança de pênalti, mas La Roja tem a melhor seleção do continente, e comprovou isso com o bicampeonato, na Copa América Centenário, disputada na terra onde o “nosso” futebol é soccer. É o melhor Chile da história, que começa com um grande goleiro, decisivo no Metlife Stadium. Bravo! Que campanha!

Já a La Roja da Europa, a seleção da Espanha (outrora também conhecida como Fúria) caiu nas oitavas de final da Euro 2016, dando adeus ao sonho do terceiro título seguido. Não dá pra reclamar de juiz, como em outras competições (como o Mundial de 2002). A Espanha vacilou diante da Croácia, pegou logo no primeiro mata-mata a sempre perigosa Itália. No primeiro tempo, só deu Itália, diante de uma Espanha irreconhecível. No segundo, Del Bosque mexeu, a Espanha martelou, martelou… até o Piqué virou atacante de referência (talvez pelo fato de Del Bosque não ter levado outros além de Aduriz), La Roja europeia só não marcou porque do outro lado estava a melhor defesa do mundo, capitaneada por um “GIGIgante”: Gigi Buffon.

Atacou, atacou, não fez e acabou levando o segundo, óbvio, num contra-ataque letal ao melhor estilo Azzurra.

Que jogão vai ser Alemanha e Itália! Sairá desse clássico de quartas de final (sábado, em Bordeaux) o campeão europeu de 2016? Voto que sim. Continuar lendo “Deu La Roja. Na Copa América.”

Eurokits: os uniformes da Eurocopa 2016

Quais são os uniformes mais bonitos da Euro 2016, hein? Abaixo, criei galerias que mostram os uniformes titulares (home kits) de todas as 24 seleções, grupo por grupo. Clique em qualquer foto para abrir cada galeria e ver em detalhe.

Grupo A

Continuar lendo “Eurokits: os uniformes da Eurocopa 2016”

Eurocopa de camisas

Atualizado em 10/11/15

Os fabricantes de material esportivo aproveitam a semana Data Fifa para lançar as novas camisetas das seleções classificadas para a Euro 2016 ou ainda lutando por vaga no campeonato europeu, que vai ser disputado na França em junho/julho do ano que vem. Na galeria abaixo, seleções vestidas pela Adidas: Alemanha, Bélgica, Irlanda do Norte, País de Gales. Ainda tentam vagas no mata-mata: Bósnia-Herzegovina, Dinamarca e Suécia (impossível deixar feia a combinação de amarelo e azul da seleção sueca…)

Clique em qualquer imagem para abrir a galeria.

Na segunda galeria, as camisas titulares das seleções que têm contrato com a Puma: Itália, Suíça, Áustria, República Checa, Eslováquia.

Continuar lendo “Eurocopa de camisas”

Mural de craque

No elegante bairro do Sarrià, em Barcelona, são muito poucas as lembranças do velho estádio do Espanyol, que em 5 de julho de 1982 recebeu o clássico Itália 3×2 Brasil – como mostrou o rolê do Fut Pop Clube ao lado do jornalista colombiano Wilmar Cabrera, autor do livro “Los Fantasmas de Sarrià Visten de Chandal”.
Mas a uns 9 mil quilômetros deste quarteirão de Barcelona, um dos cinco gols da partida mais famosa do Mundial de 1982 – a verdadeira decisão – é retratado por um mural do artista brasileiro Eduardo Kobra. O golaço de Paulo Roberto Falcão -o segundo na derrota fatal contra a Squadra Azzurra- e alegria do camisa 15 canarinho (eternizada pelo clique de J.B.Scalco, para a “Placar”) merecem a atenção de quem passa pela esquina das avenidas Hélio Pellegrino e Santo Amaro, na zona sul de São Paulo.
Sintomático que os brasileiros guardem uma imagem de uma das derrotas mais doídas da Seleção (ao lado do Maracanazo de 1950). Aquela Seleção não ganhou a Copa. Encantou o planeta bola. Ganhou o mundo. Aquela era uma Seleção pela qual valia a pena chorar, como mostrou a célebre capa do “Jornal da Tarde” sobre a foto de Reginaldo Manente.

Mural do Studio Kobra com o gol de Falcão contra a Itália.
Mural do Studio Kobra com o gol de Falcão contra a Itália, sobre a foto de J.B. Scalco para a “Placar”

Parece que as árvores querem cumprimentar e abraçar o Falcão por seu gol”, disse o jornalista Wilmar Cabrera, colombiano radicado na Barcelona do antigo estádio Sarrià. A vitória da Azzurra de Bearzot (que não era fraca, não – longe disso!) é o tema do livro  de Wilmar Cabrera,”Los Fantasmas de Sarrià Visten de Chándal”.

Depois da Copa de 1982, não foram muitos os jogos de Mundial em que a Seleção Brasileira encantou.

Que o Brasil volte a jogar bonito.

Sem Neymar, isso vai ser um pouco mais difícil. Não impossível.

E se perder? Bola pra frente. Vamos continuar curtindo a Copa, por favor? Ela tá maneira demais.

A derrota em 1982 não foi o fim das carreiras de Telê, Sócrates, Zico, Toninho Cerezo, Junior e cia. Pelo contrário. Ganharam muitos títulos mais.

Em 2006, a Alemanha sediou o Mundial e festejou o terceiro lugar. Olha ela aí de novo…

Tenho um pressentimento que boa parte desta segunda família Scolari ainda pode dar muitas alegrias à torcida brasileira. Continuar lendo “Mural de craque”