Boi-gol

https://www.facebook.com/saopaulofc
IMAGEM: página do São Paulo no Facebook : https://www.facebook.com/saopaulofc

1379987_466848083436556_418289290_nO São Paulo agora tem um novo homem-gol. Ou melhor, boi-gol.
Que fase a do Aloísio, o “boi bandido”!
Jogador raçudo, importante para um time, um cara que acredita em todas, não para de lutar… mas pecava nas finalizações. Nas últimas rodadas, desatou a fazer gols. Com direito a pedir música no “Fantástico”, graças ao hat-trick da vitória contra o Inter, erros do trio de arbitragem à parte.

A arte divulgada pelo São Paulo lembra das comemorações malucas que o Aloísio faz a cada gol: as “voadoras”. E a camiseta já chegou às lojas da rede São Paulo Mania.

35 anos de “África Brasil” – discão de Jorge Ben Jor

Aproveito o dia 23 para lembrar de um discão de Jorge Ben Jor (dos tempos em que era Ben): “África Brasil”, de 1976. Samba-rock camisa 10. Foi relançado no finalzinho de 2009 na tentadora caixinha de CDs “Salve Jorge“.  Para quem procura músicas sobre futebol, é “a” dica. Tem apenas as clássicas “Camisa 10 da Gávea”, que Jorge, um ex-ponta direita da base do Flamengo, feita para Zico, claro; e”Ponta de Lança Africano (Umbarauma)”, já regravada pelo Soulfy de Max Cavalera no ritmo acelerado do thrash metal. Há pouco, saiu uma nova versão, em que Ben Jor divide vocais com Mano Brown (muito boa! veja o clip aqui, com direito ao inesquecível Ee quee goool do eterno pai da matéria, Osmar Santos, o melhor locutor esportivo de todos os tempos).
“África Brasil” ainda tem “Taj Mahal”, Xica da… Xica da… “Xica da Silva”, “Cavaleiro do Cavalo Imaculado” etc. Continuar lendo “35 anos de “África Brasil” – discão de Jorge Ben Jor”

Toca, Brasil

alb_play_brazil_30040Hoje tem Seleção. Brasil x Estados Unidos decidem a Copa das Confederações. Numa recente visita a uma loja de discos, achei um CD lançado na época da última Copa do Mundo. Play Brazil, da WEA Latina, acredito que para o mercado internacional. Apesar da capa bem clichê, vale conferir, especialmente pelo repertório, 10! Começa bem com Gilberto Gil e o Balé de Berlim. LEIA TUDO CLICANDO AQUI. Continuar lendo “Toca, Brasil”

“Futebol Musical Brasileiro Social Clube”

capaCDPara saudar o chocolate canarinho (4×0) em pleno estádio Centenário, um disco que saiu na época da última Copa do Mundo, creio. Futebol Musical Brasileiro Social Clube, terceiro disco-solo do botafoguense Pedro Lima. O vocalista escala 11 golaços da MPB que celebra o futebol-arte. Um a um é o rojão de Edgar Ferreira arretado por Jackson do Pandeiro. Em Meio de Campo, de Gilberto Gil, também conhecido na voz de Elis, Pedro faz dupla com Nilze de Carvalho. Um a zero é o choro campeão de Pixinguinha e Benedito Lacerda com a letra artilheira do Nelson Angelo. Na vez de O que é… O que é (Moraes Moreira), Pedro tabela com Zezé Motta. Mais clássicos da MPB boleira: Geraldinos e Arquibaldos, de Gonzaguinha, Camisa 10 (Hélio Matheus e Luis Wagner) e O Campeão (Meu Time), sambão de estádio com canja do próprio Neguinho da Beija-Flor. Gol de placa do rubro-negro Benjor, a versão Pedro Lima para Ponta de Lança Africano (Umbarauma)  ganhou clip (veja). Com a camisa 9, vem a regravação de Aqui é o País do Futebol, samba de Milton Nascimento e Brant, neste jogão com passe de Roberto Menescal. A 10, Pedro Lima deixa para a cover de O Futebol, do tricolor Chico Buarque. E na ponta-esquerda, com a 11, claro, o cantor/treinador convoca  Canhoteiro, sensacional balada gravada primeiro por Fágner (fã do Fortaleza) e Zeca Baleiro, que é Peixe. As 11 músicas não são inéditas, mas os arranjos ficaram bem diferentes e interessantes.Dá para ouvir trechinhos dos 11 clássicos no site da gravadora Sala de Som (clique aqui). Ou algumas faixas na página do Pedro Lima no My Space.

Chama a atenção o projeto gráfico bacana, com referências a futebol de botão e totó, ou pebolim, ou fla-flu etc. Vale a pena ouvir a reportagem sobre o disco Futebol Musical Brasileiro Social Clube no blog O Gol de Letra, de Jana e Nanda. Quer saber mais sobre a MPB artilheira? Leia textos do Fut Pop Clube sobre a pesquisa do Beto Xavier, que resultou no livro Futebol no País da Música.