Tem figurinha?

10 em 2006, Ronaldinho foi "convocado" pelo álbum oficial...

Júlio César, Maicon, Daniel Alves, Lúcio, Juan, Luisão, André Santos, Josué, Gilberto Silva, Felipe Melo, Elano, Kaká, Robinho, Nilmar, Luís Fabiano, Adriano e … Ronaldinho Gaúcho! Se depender das figurinhas, esses 17 estão na Co.., digo, no álbum oficial da Copa do Mundo… São os “convocados” pela editora, que não tem como esperar a lista final dos 23 que efetivamente vão à África do Sul, por questões industriais. Uma pena. Sempre tem uma ou mais figurinhas carimbadas que não vão para o Mundial, seja por opção do técnico, seja por alguma contusão. É o álbum com asteriscos!
Segundo o álbum, entre os 17 “figuras” da nossa primeira adversária, a Coreia do Sul, 7 são jogadores do April 25 (time das forças armadas coreanas), 3 do Amrokgang, 2 do Pyongyang City, mais 1 de Sobaeksu, Rimyongsu e três atuam fora (um no Rostov, da Rússia, um no Omiya Ardija, do Japão, e outro no Kawasaki Frontale, do Japão).
O caldo começa a engrossar quando analisamos o segundo adversário, a Costa do Marfim. Continuar lendo “Tem figurinha?”

A Velha Senhora com ginga brasileira

prima Poderia falar sobre o empate sem gols e graça no esperado choque-rei (mais um 0x0 chato na história do clássico São Paulo x Palmeiras). Poderia falar do chocolate colorado sobre o Goiás no Beira-Rio (se o Inter vencer o Galo, fica com o título simbólico do turno e se aproxima do Palmeiras na classificação geral). Mas desde ontem quero escrever sobre os golaços brasileiros na vitória da Juventus de Turim sobre a Roma, 3 a 1, e na capital! Dois de Diego e um de Felipe Melo. E que golão em especial foi o segundo de Diego.  Toda a jogada, que começou com bola enfiada da defesa. O toque de Iaquinta. E que pintura o drible de corpo do ex-jogador do Santos e Werder Bremen em cima de Mexes, defensor da Roma. A autação entusiasmou editores da capa do jornal esportivo de Turim, Tuttosport. Os caras são bons de manchete: “Maradiego“, compara a prima página desta segunda. Diego fará tudo pela camisa alvinegra da Juve (como a do Santos, que o revelou para o mundo, em 2002) – e para descolar uma vaguinha entre os 23 de Dunga para África do Sul.

Bola parada. Contra-ataque. Linha de passe.

Gol de bola parada: Maicon lança na cabeça de Felipe Melo. 1×0. Gol em contragolpe mortal. De André Santos para Kaká, para Ramires, Robinho. 2×0. Parecia corrida de 100 metros rasos. De Maicon para  Kaká. Kaká para Ramires. Ramires para Maicon. Goool! Parecia a letra de Frevo do Bi, lembrado em texto de ontem sobre o aniversário a Copa de 62. Brasil 3×0 EUA. Será que se a Seleção de Dunga chegar à final desta Copa das Confederações a galera sai de verde e amarelo na rua?