Dia D | Dia Drummond


Flâmula com o belo distintivo do Vasco da Gama, que era o time de coração do poeta aniversariante. Neste 31 de outubro de 2012, lembramos os 110 anos de nascimento de Carlos Drummond de Andrade. Várias crônicas e até cartas de Drummond sobre o planeta bola foram reunidas por dois netos na compilação “Quando É Dia de Futebol”, de 2002, tema do post anterior. Acho que com muita sorte ele pode ser encontrado em sebos, já que houve uma mudança de editora de lá pra cá e no site da anterior não aparece mais o link de “Quando É Dia de Futebol”. Aqui, você pode saber por que ele era Vascão e o que escreveu sobre outro mineirinho de outubro, um jogador que fez mil gols… Continuar lendo “Dia D | Dia Drummond”

Carlos Drummond de Andrade, “Quando É Dia de Futebol”

Atualizado em 24 de fevereiro de 2014

“O difícil, o extraordinário, não é fazer mil gols, como Pelé. É fazer um gol como Pelé”.

Carlos Drummond de Andrade, em “Pelé 1.000”, Jornal do Brasil, 28/10/1969

http://www.companhiadasletras.com.br/
companhiadasletras.com.br/

Craques nascidos em outubro  – Garrincha, Pelé e Maradona – são personagens do livro Quando É Dia de Futebol , que reúne poemas, crônicas e até cartas em que o poeta mineiro fala do “esporte bretão” – e agora é relançado pela Companhia das Letras, depois de um tempo fora de catálogo. O livro foi organizado por netos de CDA, Luis Mauricio e Pedro Augusto Graña Drummond. Eles vasculharam os arquivos do avô e bibliotecas para compilar os textos, que revelam um poeta bastante inteirado sobre o dia a dia do futebol. Drummond também era um torcedor apaixonado.
Escolheu o Vasco, porque foi o primeiro grande clube carioca a contratar jogadores negros.  Há textos sobre as Copas de 54, 58, 62, 66 (publicadas no Correio da Manhã). 70, 74, 78, 82 e 86 (publicadas no Jornal do Brasil). Garrincha e Pelé ganham capítulos especiais.  Continuar lendo “Carlos Drummond de Andrade, “Quando É Dia de Futebol””