Celeste x Albirroja na final da Copa América!

O Uruguai está na final de uma Copa América depois de 12 anos! A Celeste Olímpica disputou com o Brasil (e perdeu) a final de 1999. A última copa levantada pela Celeste foi a de 1995. Contra a amarelinha.

(Atualizando em 21/07) Na quarta-feira, o Paraguai superou La Vino Tinto (Venezuela) nos pênaltis.A última vez que a Albirroja foi à final: 1979. Faturou.

Uruguai que se cuide com o tal de Justo Villar.

Partidazo!

Foi uma partidaça. 120 minutos de luta, raça, expulsões, emoção, boas jogadas, sim, e decisão nos pênaltis – a cara que o técnico argentino fez quando acabou a prorrogação… O Uruguai, que ficou com 10 em campo cedo, se segurou e também ameaçou, com grandes atuações de Forlán, Suárez, Lugano e, especialmente, Muslera. O jovem goleiro catou até pensamento no tempo normal, na prorrogação e, nos pênaltis, defendeu a cobrança de Tévez. E num 16 de julho como o de 1950, quando silenciou o Maracanã, a Celeste calou o estádio que os argentinos chamam de Cemitério de Elefantes. Terminou em Santa Fé o sonho argentino de ganhar a Copa América 2011 na sua casa. Continuar lendo “Partidazo!”

Alviceleste x Celeste Olímpica

Los Cafeteros (Colômbia) x La Blanquirroja (Peru). La Albiceleste (alviceste, Argentina) contra a Celeste Olímpica. Começam as quartas de final da Copa América. Olhos do mundo do futebol, pelo menos do continente, mais voltados para Santa Fé, onde argentinos e uruguaios disputam uma vaga nas semifinais. Grande clássico, pena que tão cedo, mas pelo menos é garantia de emoção. Cada seleção venceu catorze vezes a competição.. Só uma permanecerá na luta para erguer a copa no Monumental de Nuñez. Por curiosidade, num 16 de julho. Data em que os uruguaios lembram os 61 anos do Maracanazo – a virada sobre o Brasil na final de outra Copa, a do Mundo, em 1950. Dentro do post, dica de um livro sobre o episódio, lançado no ano passado. Continuar lendo “Alviceleste x Celeste Olímpica”

De almanaque: os apelidos das seleções da Copa América


Com uma ajudinha do “Almanaque do Futebol Sportv”, dos jornalistas Gustavo Poli e Lédio Carmona (editora Casa da Palavra), lá vai uma listinha com os apelidos das seleções que disputam a Copa América 2011. Em geral, determinados pela cor da camisa.

Argentina – Albiceleste

Brasil – Canarinho Continuar lendo “De almanaque: os apelidos das seleções da Copa América”

Copa América 2011

Atualizado em 21 de julho de 2011
GRUPO A:
1º de julho – Argentina 1×1 Bolívia- em La Plata
2 de julho – Colômbia 1×0 Costa Rica – em Jujuy
6 de julho – Argentina 0x0 Colômbia – em Santa Fé
7 de julho – Bolívia 0x2 Costa Rica -em Jujuy
10 de julho – Colômbia 2×0 Bolívia – em Santa Fé
11 de julho – Argentina 3×0 Costa Rica- em Córdoba
GRUPO B:
3 de julho – Brasil 0x0  Venezuela – em La Plata
3 de julho – Paraguai 0x0 Equador – em Santa Fé
9 de julho – Brasil 2×2 Paraguai – em Córdoba
9 de julho – Venezuela 1×0 Equador – em Salta
13 de julho – Paraguai 3×3 Venezuela – em Salta
13 de julho – Brasil 4×2 Equador – em Córdoba
GRUPO C:
4 de julho – Uruguai 1×1 Peru – em San Juan
4 de julho – Chile 2×1 México- em San Juan
8 de julho – Peru 1×0 México – em Mendoza
8 de julho – Uruguai 1×1 Chile – em Mendoza
12 de julho – Chile 1×0 Peru – em Mendoza
12 de julho – Uruguai 1×0 México – em La Plata.

Quartas de final:

  • Sábado, 16h15 – Colômbia 0x2 Peru, em Córdoba – os 2 gols na prorrogação
  • Sábado, 19h15 – Argentina 1×1 Uruguai, em Santa Fé – Urugyuai venceu por 5×4 nos pênaltis
  • Domingo, 16h – Brasil 0x0 Paraguai, em La Plata – Na decisão por pênaltis, o Brasil desperdiçou 4 cobranças. A Albirroja converteu 2.
  • Domingo, 19h15, Chile 1×2 Venezuela, em San Juan
Semifinais :
Terça-feira- Peru 0x2 Uruguai, em La Plata
Quarta-feira- Paraguai 0x0 Venezuela, em Mendoza. Paraguai classificado nos pênaltis
Decisão do 3º lugar – sábado
  • Peru x Venezuela

Finalíssima – domingo

  • Uruguai x Paraguai

Continuar lendo “Copa América 2011”

Em 1975, deu Brasil. Em Rosário.

selecaoEm agosto de 75, a Argentina recebeu o Brasil no mesmo estádio do derby desta noite,  Gigante de Arroyito. E a seleção brasileira treinada por Oswaldo Brandão venceu os argentinos selecionados por Menotti. Um a zero. Gol do atleticano Danival, informa o livraço Seleção Brasileira, de Antonio Carlos Napoleão e Roberto Assaf (editora Mauad;capa ao lado). Brandão convocou uma maioria de jogadores de Atlético e Cruzeiro. Contando substituição, seis jogadores do Galo e quatro da Raposa atuaram em Rosário. Só a dupla de zaga era do futebol paulista.

A seleção mineira, digo, a brasileira, venceu com Raul, Nelinho, Luiz Pereira (ainda no Palmeiras), Amaral (então no Guarani) e Getúlio (na lateral-esquerda!!!);  Wanderley Paiva, Danival e Palhinha; Roberto Batata, Campos e Romeu (depois Reinaldo).

Os hermanos perderam com Gatti, Pavoni, Mário Killer e Rebottaro; Daniel Killer, Gallego e Ardilles (depois Júlio Asad); Boveda, Luque e Kempes.

O Brasil venceu essa batalha, mas a Copa América de 1975 ficou com sabe quem? A seleção peruana, com alguns jogadores que três anos depois tomariam de 6 a 0 da Argentina, na mesma Rosário, no jogo mais comentado da Copa de 78.