A Celeste, de vermelho, no Mundial de 1962.


Está no curioso livro “A História das Camisas de Todos os Jogos da Copa do Mundo” (Panda Books), de Paulo Gini e Rodolfo Rodrigues, atualizado até a Copa de 2006. O Uruguai usou uma camisa vermelha (às vezes, é a cor da número 2 da Celeste; atualmente, a camisa reserva é branca) pela primeira vez numa Copa do Mundo na sua estreia no Chile, em 1962. Explica o livro “A História das Camisas de Todos os Jogos da Copa do Mundo” que o uniforme vermelho da Celeste surgiu em 1932, num amistoso contra a rival alviceleste, a Argentina; e que no Sul-Americano de 1935, o Uruguai jogou sempre de vermelho – e levou o que hoje é a Copa América. Continuar lendo “A Celeste, de vermelho, no Mundial de 1962.”

Chile no Blog da Bola do Museu do Futebol

Você pode ter visto no Show do Intervalo que o Palmeiras entrou em campo nesta superquarta com uma bandeira do Chile. Chile de Valdívia, mago que ainda é ídolo dos alviverdes. Chile de Figueroa, lateral-direito que não chegou há muito tempo do Colo-Colo e ainda disputa posição no time titular. E leva o mesmo sobrenome de grande ídolo da La Roja (seleção chilena) e do colorado – fez o gol que deu Internacional o Brasileiro de 75. Chile de Maldonado, polivalente jogador de marcação importante por onde passou no Brasil. Há quem diga que o título do Flamengo em 2009 deve muito à chegada do chileno. Flamengo que também tem Gonzalo Fierro.
Já deu para perceber que este post é uma lembrança ao país que sofreu o grande terremoto na madrugada do último sábado de fevereiro, certo?

A imagem ao lado eu descobri no excelente Blog da Bola, do Museu do Futebol. Que publicou ainda no domingo, 28/02, o post Porque Nada Tenemos, Todo Lo Haremos, assinado por André Assis. O título remete à frase do cartola Carlos Dittborn, depois do  terremoto de 9,5 graus na escala Richter que matou 5.700 pessoas em maio de 1960. A Copa do Mundo estava marcada para menos de 2 anos depois. Pois o Chile a realizou a contento, e você sabe, o Brasil ganhou o bi, com show de Garrincha (o México também promoveu uma Copa, a de 86, um ano depois de um tremor que matou 10 mil pessoas). O Blog do Juca acrescenta que Dittborn morreu 32 dias antes do campeonato do mundo de 62.

Bem, e a imagem acima? O Blog da Bola explica que é um LP em homenagem à seleção chilena, de 62, que fez boa campanha no Mundial disputado em casa.  Selo Odeon. Um disco com narração de gols, músicas, lembranças do Mundial, como os que eram lançados no Brasil antes ou depois das Copas, como este aqui, de 1958.

Fica a dica: o Blog da Bolabraço virtual do Museu do Futebol – vale a visita, como o museu propriamente dito. O atalho está sempre na coluna da direita, debaixo da retranquinha Links/Mundo Curioso da Bola.