Johan Cruyff. Camisa #14 do time dos sonhos de todos os tempos.

Johan Cruyff. Camisa #14 do time dos sonhos de todos os tempos.

Imagem destacada (acima): https://www.worldofjohancruyff.com/

Morreu Johan Cruyff, 68 anos de rebeldia e revolução. O franzino “El Flaco” tinha forte personalidade, a ponto de tirar uma das listras das mangas do belo uniforme cor de laranja porque o seu patrocinador não era o mesmo da seleção holandesa, que liderou na campanha do vice-campeonato mundial, em 1974, na Alemanha. Eram os tempos do Futebol Total – sua Laranja Mecânica, o Carrossel Holandês, deu um banho nas maiores seleções sul-americanas naquele Mundial.  No Ajax, já tinha sido campeão de tudo – seis vezes campeão holandês, quatro da Copa da Holanda, tricampeão europeu, campeão do mundo (Copa Intercontinental, em 1972).  No Barça, virou o holandês voador por causa deste gol aqui. contra o Atlético de Madrid, e o gigante azul e grená voltou a ser campeão espanhol depois de 14 anos! Jogou também nos EUA (LA Aztecs, Washington Diplomats), no Levante, de Valência, pertinho da Catalunha, e voltou a ser campeão holandês no Ajax e no rival Feyenoord. Retornou ao Camp Nou como técnico, tetracampeão espanhol, e pela primeira vez o Barça foi campeão europeu com o Dream Team treinado por Cruyff. Seu estilo de jogo está no DNA do Barça pra sempre. 

Pra sempre, Cruyff vai ser o camisa 14, titular do time dos sonhos de todos os tempos.

A trajetória de “El Flaco” é brilhantemente contada numa animação do canal Campeones, na série Draw My Life.

Continuar lendo “Johan Cruyff. Camisa #14 do time dos sonhos de todos os tempos.”

Um minuto de aplauso, aos 14 do primeiro tempo.

No futebol holandês, o eterno camisa 14 da Laranja Mecânica foi ídolo do Ajax e no fim da carreira também foi campeão pelo Feyenoord. Mas na partida contra o Ajax, o estádio todo do Vitesse também aplaudiu Johan Cruyff no minuto 14. O holandês voador sofre de câncer no pulmão, sabe-se agora. As imagens da Ajax TV, canal do clube de Amsterdam no You Tube, são impressionantes (dá pra ver o técnico Frank De Boer aplaudindo na beira do gramado e o cracaço Marco Van Basten nas tribunas).

A janela fechou

Que Manchester United, o quê? Nos últimos dias de janela aberta na Europa, o holandês Robben – um dos melhores do Mundial 2014, se não o melhor – vestiu a camisa do Sport Club do Recife.

Claro, foi só uma ação para o lançamento da nova terceira camisa do Sport, com as cores da monarquia holandesa, a dinastia Orange-Nassau, que teve grande influência na colonização de Recife.

Robben vai continuar voando pelo poderoso Bayern de Munique.

Mas fica o gostinho, né? Já pensou se o futebol brasileiro fosse capaz não só de segurar algumas de suas grandes estrelas, como de atrair os craques do futebol mundial, no auge?

Num exercício de imaginação, cada torcedor poderia sonhar com a contratação de um – e só um – craque estrangeiro pro seu time.

Não vale Messi nem Cristiano Ronaldo. Vamos deixar de barato que Messi voltaria pro Newell’s e CR7 para o Sporting Clube de Portugal ou Nacional da Ilha da Madeira.

Qual seria o “jogador do torcedor”, hein?

Eu começo, na parte de comentários deste post.

Continuar lendo “A janela fechou”

Feyenoord 2015-16

O pessoal da Adidas na Holanda costuma caprichar na apresentações dos uniformes.


Não foi diferente com as novas camisas do Feyenoord.

1891331_10152840521956816_1362232266791385835_o10704314_10152691585526816_3841396048276905498_o
Confira mais detalhes do segundo uniforme do Feyenoord. Beeem legal!

Este slideshow necessita de JavaScript.


O clube de Roterdã trouxe de volta o bom atacante Dirk Kuyt e comprou Marko Vejinovic, do Vitesse.

 Técnico: Giovanni van Bronckhorst (que jogou como lateral no próprio Feyenoord, Arsenal, Barça).11112835_10152745305606816_6354232005833624634_o
Estádio: De Kuip. Mais de 15 mil torcedores fizeram uma festa danada no primeiro treino do clube na temporada que começa. É tradição no De Kuip. Veja no Twitter do canal Copa90. Caracas!

O elenco, com numeração, dentro do post.
Continuar lendo “Feyenoord 2015-16”

“L’últim partit: 40 anys de Johan Cruyff a Catalunya”

1900733_376947855815213_8929803446692850522_o
https://www.facebook.com/pages/Bonita-Films/

Por coincidência ou não, dias antes do plebiscito sobre independência convocado pelo governo da Catalunha (e contestado pelo governo espanhol), estreou em Barcelona um documentário sobre a chegada do craque holandês Johan Cruyff ao Camp Nou. L’últim partit: 40 anys de Johan Cruyff a Catalunya”. O filme foi dirigido por Jordi Marcos e produzido pela Bonita Films, de Barcelona, com colaboração do jornalista Xavi Torres.

Dica do caderno de Esportes do Estadão deste sábado (aqui, a reportagem de Raphael Ramos).

O doc reúne celebridades do futebol e da sociedade catalã. Quando Cruyff chegou ao Barça, o franquismo ainda dava as cartas na Espanha. A língua catalã estava banida e o pessoal aproveitava os jogos no Camp Nou para tirar o grito do fundo da garganta. Como jogador blaugrana, o eterno camisa 14 ganhou uma liga espanhola (1973-74) e uma Copa do Rei (77-78). Como técnico, foi ainda mais bem sucedido: tetra espanhol no começo dos 90, uma Copa do Rei (89-90), três supercopas da Espanha, uma Recopa europeia (89), a desejada Copa (Liga) dos Campeões e a Supercopa europeia em 1992. Comandou a geração do chamado Dream Team do Barça (com um jovem Guardiola com a camisa 4) e só perdeu o Mundial de Clubes no Japão, para o São Paulo do mestre Telê Santana.

Vamos torcer para que  L’últim partit” chegue aos cinemas ou a algum festival brasileiro, como o CINEfoot. Continuar lendo ““L’últim partit: 40 anys de Johan Cruyff a Catalunya””

A semifinal das semifinais. 2002 contra 1978. Para não dar 1974 ou 1990 na cabeça.

10532561_603743519747011_5788764897780275249_n (2)Sessenta anos e um dia depois do Milagre de Berna, a vitória da Alemanha contra a Hungria favoritaça, no Mundial de 1964, na Suíça, por muito pouco não tivemos um Milagre de Salvador. A brava Costa Rica defendida por Navas resistiu 120 minutos à Laranja Mecânica de Robben, Van Persie, Sneijder e… Van Gaal! No finalzinho da prorrogação, o técnico Van Gaal substitui um goleiro por outro, só para a cobrança de pênaltis. Krul (goleiro do Newcastle), que já estava se aquecendo há um bom tempo, acertou os cantos e defendeu dois pênaltis. Van Gênio! Cillessen, goleiro do Ajax, parecia abatido. Mas saiu correndo para festejar quando a Costa Rica desperdiçou o pênalti decisivo.

Brasil x Alemanha, terça-feira, às 17h, no Mineirão. Um RT da final de 2002? Neymar fora. Mas, sim, nós podemos.

Argentina x Holanda, quarta-feira, às 17h, na Arena Corinthians. Revanche da final do polêmico Mundial de 1978? A Argentina não deve ter Di María, mas tem Messi, Higuaín (que fez uma partidaça hoje em Brasília), o papa Francisco e uma invasão azul e branca ao estádio alvinegro. E a Holanda terá o apoio da massa brasileira e o louco do Van Gaal no banco. Hoje ele ganhou.
A Alemanha já decidiu tanto contra a Holanda (1974) como contra a Argentina (1990, a pior de todas as Copas).
Tanto Brasil x Holanda como Brasil x Argentina seriam finais inéditas.
Gramde finais.
Por Neymar, vamos lá, vamos lá.

Ilustrações: Lais Sobral.

ARTE Lais Sobral | www.flickr.com/photos/lais-sobral/
ARTE Lais Sobral | http://www.flickr.com/photos/lais-sobral/
Ilustração: LAIS SOBRAL www.flickr.com/photos/lais-sobral/
Ilustração: LAIS SOBRAL http://www.flickr.com/photos/lais-sobral/

Continuar lendo “A semifinal das semifinais. 2002 contra 1978. Para não dar 1974 ou 1990 na cabeça.”

C l a s s i f i c a d o s !

Argentina e Bélgica garantiram as últimas vagas no clube dos 8 melhores do Mundial 2014.
Mas que luta dos EUA!
Tarde de partidaças dos goleiros Howard e Benaglio, dos Estados Unidos e da Suíça, de Messi, Di María e Lukaku.

Continuar lendo “C l a s s i f i c a d o s !”