“São” Marcos, camisa 12 eterno do Palmeiras

http://www.mundopalmeiras.com.br

Oriente (é o nome da cidade do) rapaz (não tão mais rapaz assim).
Ele está no poster da seleção brasileira pentacampeã do mundo na Copa de 2002, do outro lado do planeta da redondinha.
Ele está no poster do Palmeiras campeão da Libertadores de 1999 e de muitas outros títulos (veja dentro do post).
Breve, terá um busto no novo Palestra.
[530] Jogos com Ele. Por uma só camisa, aquela que tem um “P” no distintivo. Que defendeu até em momentos difíceis, pouco depois do penta, no Japão
Marcos, “São” Marcos para a torcida do Palmeiras, com toda a razão.
Ele defendeu 33 pênaltis.
E mesmo que algumas dessas defesas tenham impedido o Corinthians de alcançar a Libertadores, Marcos recebeu homenagem do arquirrival: “… Fora as rivalidades cotidianas, o Corinthians ressalta que sempre teve esse brilhante atleta como um rival respeitoso, desafiador e muito difícil de ser batido” (veja a íntegra da nota aqui). Demonstração de grandeza. De ambos.

Horas depois, o site do São Paulo publicou uma notícia, com declarações do atacante Luís Fabiano, do vice-presidente de futebol, João Paulo de Jesus Lopes, e de Rogério Ceni:  “O Marcos foi um grande companheiro de Seleção e um grande adversário, de tantos clássicos. Ele sempre foi uma referência nos grandes jogos, eles valiam mais, pois contavam com atletas como ele”, disse o goleiro tricolor (veja a íntegra no site do São Paulo)

Obrigado, Marcos. Por fazer do futebol aquele esporte que nós, torcedores de todas as cores, amamos tanto, independentemente de vitórias ou títulos. E que sem caras como você perde um bocado da graça. Obrigado, “São” Marcos.

Continuar lendo ““São” Marcos, camisa 12 eterno do Palmeiras”

Barça e Manchester, perto de Wembley

Um dos posts mais lidos do blog até hoje é o que anunciava a final da Liga dos Campeões 2009, entre Barcelona e Manchester United, disputada em Roma. Mata-mata da Liga de Campeones, ou melhor, Champions League é um jogo de 180 minutos etc, mas são muito grandes as chances de uma nova final entre Barça e Man.Utd, já que os dois venceram como visitantes nas partidas de ida das semifinais, Madrid e Schalke. Com 10 a partir dos 15 do 2º tempo (um jornal esportivo de Madri teve coragem de reclamar que a expulsão de Pepe foi injusta…), o Real não resistiu ao 10 do Barça. Ao camisa 10. Um gol de oportunismo e um gol de placa. Messi 2×0. Terça-feira que vem, a volta, aqui, no Camp Nou. Bem que os dois “times-nação” poderiam dar um tempo no clima de guerra quando a bola rolar. O espetáculo só ganharia. Continuar lendo “Barça e Manchester, perto de Wembley”