Navegando pelo futebol europeu (atualizado)

Num rápido passeio virtual pelo futebol europeu neste sábado, descobrimos que subiu no telhado -pelo menos por enquanto – o título alemão para o Wolfsburg. O time do artilheiro Grafite e do capitão Josué foi goleado pelo Sttutgart (4×1), que também entrou no páreo. Pra piorar a situação dos Wolves, que perderam 3 pontos pro Engergie Cottbus rodadas atrás, o Bayern de Munique não bobeou diante do antepenúltimo colocado e voltou com 3 pontos do leste. Wolfsburg e Bayern estão empatados com 60 pontos. Grafite e cia ainda levam vantagem em gols marcados (67×64). O Hertha Berlim ganhou do Bochum e vem logo atrás, com 59. Sttutgart tem 58. Certamente, a Bundesliga será um dos nacionais de final mais eletrizante na temporada. Na Inglaterra, o Liverpool foi à Zona Leste de Londres e aplicou 3×0 no West Ham, para tristeza do baixista Steve Harris. Só que o Manchester United ganhou o clássico contra o City por 2×0. Na Espanha, o Real tomou mais uma goleada (3×0 em Valência). Mas o Barça tomou o gol de empate do Villareal (3×3) no finzinho de jogo e adiou a festa do título.

10 perguntas para Beto Xavier

Beto Xavier
Beto Xavier

Jornalista, radialista, gremista, apaixonado por música, por futebol – e colecionador de canções sobre o “esporte bretão”. Beto Xavier acaba de lançar seu primeiro livro, Futebol no País da Música (pela Panda Books). Resultado de garimpo esportivo-musical durante 15 anos! Gentilmente, ele respondeu por e-mail a 10 perguntas do Fut Pop Clube.

1) FUT POP CLUBE – Beto, no seu livro, você fala em casamento entre futebol e música brasileira. Quando eles começaram a namorar e quando casaram pra valer?

BETO XAVIER –  Futebol e música começaram a namorar muito cedo. Como falo no meu livro, o pai do futebol brasileiro, CHARLES MILLER, era casado com uma grande pianista, igualmente pioneira na sua arte.Mas há vários casamentos, não só um. Mas acho que a primeira grande festa de casamento foi quando o BRASIL ganhou o primeiro título mundial. Aí a festa entre música e futebol foi de arrombar. Quem não se lembra de “A taça do mundo é nossa”? (ouça aqui a versão de Ivo Meirelles e Funk´n Lata)

2) FUT POP CLUBE  – Na sua opinião, que gol  merece uma música?

BETO XAVIER– Difícil, hein? Mas acho que o primeiro gol do Pelé contra a Itália na final da COPA DE 70 merecia uma música.  Aquela cabeçada foi magistral. Aquele do Marcelinho Carioca contra o Santos também foi divino. Pessoalmente, o segundo gol do RENATO PORTALUPPI contra o HAMBURGO, na final do Mundial Interclubes de 83 também merecia. Um rock!

3) FUT POP CLUBE – Você viu o golaço do Grafite, na goleada do Wolfsburg contra o Bayern de Munique? Se ele tivesse marcado um gol assim com a camisa do Flamengo, alguém já estaria pensando numa música?

BETO XAVIER – Talvez. Depende muito da inspiração, nem tanto da importância.  O gol que deu origem ao clássico “Fio Maravilha!” [ou “Filho Maravilha”,disco “Ben”;ouça um trechinho no site de Jorge Benjor;] saiu num simples amistoso. Quer dizer, é muito relativo. ben

4) FUT POP CLUBE – Além de Jorge Benjor, que músico brasileiro pode lançar ao menos uma coletânea só de boas músicas sobre futebol?

BETO XAVIER – Sem nenhuma dúvida, MORAES MOREIRA. Lembrando que o CARLINHOS VERGUEIRO lançou 1999 um disco só com temas futebolísticos chamado “CONTRA-ATAQUE”.

Carlinhos Vergueiro
Carlinhos Vergueiro

5) FUT POP CLUBE – Em 1982, o Júnior, então lateral da Seleção, vendeu 700 mil cópias do compacto “Povo Feliz (Voa Canarinho”) / “Pagode da Seleção”. Algum outro jogador-cantor se deu tão bem assim,?

BETO XAVIER – Também não há dúvida. JÚNIOR foi o que melhor soube aproveitar, digamos, o talento musical. Lançou um compacto que vendeu 700 mil cópias e dois LPs com sambas, alguns muito bons.

O PELÉ também gravou bastante, mas não vendeu tanto quanto o LÉO.

6) FUT POP CLUBE Na sua opinião, que outro jogador mostrou muito talento como compositor, cantor ou músico e merecia mais sucesso comercial?

BETO XAVIER: Acho que o ESCURINHO,  atacante colorado dos anos 70,  merecia ser mais conhecido pelo lado musical. Canta, compõe e toca. Alguns sambas dele são muito bons..

7) FUT POP CLUBE – E na música popular brasileira, quais são os melhores boleiros? Quem bate a melhor bola?

BETO XAVIER – Tem vários, mas destaco alguns: CHICO BUARQUE, MORAES MOREIRA,  FAGNER, CARLINHOS VERGUEIRO, DJAVAN, GUINGA, PEPEU GOMES.

FUT POP CLUBE – No livro, você compara os Novos Baianos com o carrossel holandês, a Laranja Mecânica da Copa de 74. Por quê?

BETO XAVIER – O conceito é parecido. OS NOVOS BAIANOS eram uma verdadeira comunidade. Todos moravam juntos, todos tocavam, cantavam e compunham. A HOLANDA era mais ou menos isso. Me lembro que os jogadores holandeses foram os primeiros a levarem as mulheres para uma competição tão importante como uma  Copa do Mundo. Além disso, tanto os NB como o “Carrossel Holandês” deram ares de renovação em suas áreas. Há uma foto emblemática num daqueles fascículos da coleção “HISTÓRIA DA MÚSICA POPULAR BRASILEIRA”. Todos os NOVOS BAIANOS  reunidos numa varanda vendo um jogo pela TV. A partida é HOLANDA 2×0 URUGUAI  pela COPA de 74.

9) FUT POP CLUBE – Sabe de algum outro país de fanáticos pela bola com uma tradição semelhante de músicas sobre futebol?

BETO XAVIER – Não com a música popular. Mas os ingleses sempre  foram muito musicais em relação ao futebol.

10) Pelé x Maradona… quem recebeu mais homenagens musicais? Só o Manu Chao fez duas sobre Diego:”Santa Maradona” no tempo da banda Mano Nega e “La Vida Tombola” no último disco, “Radiolina”…

BETO XAVIER – Por incrível que pareça o MARADONA é mais cantado na ARGENTINA do que o PELÉ no BRASIL, que também é muito citado em músicas aqui em nosso país. Continuar lendo “10 perguntas para Beto Xavier”

Na Bundesliga…

Grafite não marcou ontem, mas ajudou o Wolfsburg a derrotar por 2×1 o Borussia M´Gladbach, fora de casa. O time da Volkswagen lidera a Bundesliga com 3 pontos a mais que Bayern -que descontou as recentes goleadas com um 4×0 no  E.Frankfurt – e Hamburgo. Na página oficial da liga alemã, há um destaque para Grafite. Sua obra-prima nos 5×1 contra o Bayern é tratada como “Gol do Ano”. O artigo tirado da revista “Goal! The Bundesliga Magazine” diz que Raí é  ídolo do atacante e lembra que  Grafite e Josué (também jogador do Wolfsburg)  participaram do título tricolor da Libertadores 05. O site também ressalta a excelente média de Grafite na temporada alemã: 20 gols em 18 jogos.  

O 1º jogo de Grafite na seleção brasileira

Sem Luís Fabiano, a 9 do SPFC em 2005 chegou a ser usada por Grafite
Sem Luís Fabiano, a 9 do SPFC em 2005 foi usada por Grafite

SITE DA FIFA PUBLICOU ENTREVISTA COM Grafite EM 22/06/09 (clique).

Brasil 3, Guatemala 0. O jogo de despedida de Romário da seleção, num Pacaembu lotado, em abril de 2005, foi o primeiro de Grafite com a clássica camisa amarelinha. E o então atacante do São Paulo entrou aos 38´, exatamente no lugar de Romário. O baixinho já havia deixado o seu. Grafite fez o 3º gol do Brasil, no segundo tempo. Edinaldo Batista Libânio, rapaz de Jundiaí, teve seu apelido gritado pelo estádio. Era recente o episódio com o jogador do Quilmes. E estava jogando muito pelo São Paulo. E ele foi importante na campanha vitoriosa da Libertadores 2005. Quatro gols e 2 assistências. Clique para relembrar. Continuar lendo “O 1º jogo de Grafite na seleção brasileira”

Gol do Grafite. E QUE GOLAÇO!

Foto do site do Wolfsburg (vflwolfsburg.de)
Foto do site do Wolfsburg (vflwolfsburg.de)

O atacante Grafite ficou muito conhecido no Brasil pelo episódio com o argentino Desabato, num São Paulo x Quilmes em 2005. Antes de se contundir, Grafite foi importantíssimo na vitoriosa campanha do tricolor naquela Libertadores, com gols e assistências. Mundial conquistado, infelizmente não deu pra ver uma dupla que prometia: Grafite e Amoroso – ambos logo deixaram o São Paulo. Grafite foi jogar no Le Mans, da França. Desde agosto de 2007, está no Wolfsburg, time que pertence à Volkswagen. Neste fim de semana, o Wolfsburg humilhou o poderoso Bayern de Munique: 5×1. Grafite fez dois. O segundo, quinto do time verde, foi antológico. Passou por 2 zagueiros, driblou o goleiro e pra arrematar, um toque de calcanhar. Ganha o imaginário troféu E QUE GOLAÇO -(C) José Silvério – da rodada.

O time de Grafite lidera a Bundesliga e o brasileiro, camisa 23, é o artilheiro, com 20 gols! Clique aqui para ler sobre o único jogo de Grafite pela Seleção Brasileira e sua participação na campanha do São Paulo, campeão da Libertadores 2005.

P.S. – Grafite é entrevistado da edição de junho da revista Trivela.