Para Leônidas, o homem de borracha

FOTOS SCAN COLOR -0006 L-RES
O homem de borracha no Memorial do SPFC"

24 de janeiro. 6 anos sem Leônidas da Silva. O primeiro brasileiro a terminar uma Copa do Mundo como artilheiro: a de 1938, na França, com 7 gols, segundo site da Fifa. Virou homem de borracha, para os franceses, encantados. Seu apelido brasileiro, diamante negro, virou nome de chocolate, inspirou o título da ótima biografia escrita por André Ribeiro. O “Pelé” antes da era Pelé, jogou (e aprontou!) no Sírio e Líbanes, São Cristóvão, Bonsucesso, Penãrol, Vasco, Botafogo, Flamengo (campeão nos 3 grandes grandes cariocas onde jogou),  São Paulo (cinco títulos paulistas na década de 40!) e Seleção Brasileira. Também é personagem de um belo samba eternizado por Carmen Miranda, regravado por Marcos Sacramento, Deixa Falar, e do CD Coração de 5 Pontas, recém-lançado por Hélio Ziskind.

Leia mais sobre grande craque aqui.

Alô… Alô?: 100 Anos de Carmen Miranda

MusCarmenMirandaDFMaio091A fase americana da portuguesinha mais brasileira é o tema dos shows da última terça-feira do projeto Alô… Alô? 100 Anos de Carmen Miranda, no Centro Cultural Banco do Brasil, centrão de São Paulo. Beatriz Faria e Marcos Sacramento cantam repertório da Brazilian Bombshell no cinema e na Broadway. Há um show às 13h e outro às 19h30. Endereço, preços e como chegar (metrô, ônibus ou carro): leia aqui.

Sobre “bonde de 200 contos”

Publicado em maio de 2009

Capa da nova edição de “Diamante Negro – Biografia de Leônidas da Silva”, agora pela editora Cia dos Livros

E por falar em Carmen Miranda e Marcos Sacramento, que gravaram música sobre Leônidas (“Deixa Falar”, de Nelson Petersen), esta semana ouvi na sala dos Gols,  no Museu do Futebol, a narração do primeiro gol de bicicleta do Diamante Negro no futebol paulista. Foi no terceiro jogo de Leônidas pelo São Paulo, em 14 de junho de 1942. Vitória por 2×1 do Palestra Itália, que ainda durante aquele campeonato mudaria de nome para Palmeiras (e seria campeão).  Aos 44 do primeiro tempo, Leônidas fez o gol tricolor no Pacaembu, Para explosão de alegria do locutor Geraldo José de Almeida, da rádio Record: “o bonde… o bonde de 200 contos fez um gol de bicicleta“.Diamante-Eterno-big (1) O sensacional livro do André Ribeiro, O Diamante Eterno [Diamante Negro, Biografia de Leônidas da Silva, no relançamento pela Cia dos Livros], registra  que alguns dias antes da estreia de Leônidas, o jornal “A Hora” manchetou: “São Paulo compra Bonde de 200 contos”. O livro do André Ribeiro explica que os redatores do tablóide “A Hora” usaram a palavra “bonde”, que na época significava mau negócio, para rotular o artilheiro da Copa de 38. Leônidas chegou ao São Paulo com 29 anos, por 200 contos, depois de problemas na relação com o Flamengo. O tal “bonde de 200 contos” seria campeão paulista cinco vezes nos anos 40. Marcou 140 gols em 211 jogos pelo São Paulo. Para um “bonde”, tá bom, não?

Não será mera coincidência qualquer semelhança com a história recente de outro grande atacante carioca, que também teve passagem pelo São Cristóvão, caso de amor tumultuado com o Flamengo,  também jogou no exterior, foi artilheiro de Copa do Mundo e chegou meio desacreditado ao futebol paulista.  E já foi campeão estadual. O nome dele são vocês que vão dizer: Ronaldo, o Fenômeno.

Leia também:

https://futpopclube.wordpress.com/tag/futebol-no-pais-da-musica/

https://futpopclube.wordpress.com/?s=carmen+miranda

https://futpopclube.wordpress.com/2009/05/17/museu-do-futebol-ii-anjos-barrocos/

100 anos de Carmen Miranda

Carmen
A seção FLYER informa: nesta sexta, 22 de maio, o cantor carioca Marcos Sacramento faz show em homenagem ao centenário da pequena notável. Sete da noite, na Sala Funarte Sidney Miller, centro do Rio. Entrada popular: 5 reais, o ingresso mais caro.
Em 30 de junho, Marcos Sacramento (leia mais) canta Carmen no Centro Cultural Banco do Brasil paulistano.
Gentilmente, o sambista respondeu por e-mail algumas curiosidades sobre o gosto dele. Veja no texto abaixo. Sempre que possível, abri links para sites oficiais ou para páginas sobre os artistas citados nos excelentes sites Clique Music e Discos do Brasil – excelentes fontes para pesquisar a música brasileira.

Marcos Sacramento

Marcos Sacramento
Marcos Sacramento

UM CANTOR DE CABECEIRA – Orlando Silva (Nota do blog: clique para ouvir o cantor das multidões)

UM COMPOSITOR DE CABECEIRA: Luiz Flávio Alcofra (parceiro de Sacramento, ouça composições)

OUTRAS INFLUÊNCIAS OU REFERÊNCIAS: Elis Regina e Orlando Silva
DISCO DE CABECEIRA: Como estou mergulhado no Projeto “Alô, alô, 100 anos de Carmen Miranda, todos os seus discos!
HIT DA SEMANA: “Na cabeça”, do meu novo CD (ouça aqui)
CONJUNTO DO CORAÇÃO: Bando da Lua (Nota do blog: conjunto que acompanhou Carmen Miranda)
“MELHOR BANDA DE TODOS OS TEMPOS DA ÚLTIMA SEMANA“: Bando da Lua
TIME DE CORAÇÃO: Botafogo

Futebol em 11 ritmos: 1) SAMBA

carmenFut Pop Clube – Das dezenas, talvez centenas de sambas sobre futebol, Beto, qual te vem imediatamente à cabeça?

Beto XavierDeixa Falar (Nelson Petersen, 1938), com a Carmen Miranda (ouça!) ou com o Marcos Sacramento (ouça trecho!). (CD Memorável Samba, selo Biscoito Fino, 2003)memoravel-samba
Publicado originalmente em 24 de abril de 2009

Deixa Falar

Cartaz do show de Marcos Sacramento na Semana Carmen Miranda

  Neste 9 de fevereiro, celebramos o centenário de nascimento da cantora portuguesa que conquistou Hollywood como boa baiana. Carmen Miranda. Quero aproveitar para dar uma dica de um show para quem estiver no Rio sábado agora: a apresentação do cantor carioca Marcos Sacramento na semana Carmen Miranda. Tempos atrás, comprei o CD “Memorável Samba” por causa da regravação que o Marcos fez de “Deixa Falar”, música composta por  Nelson Petersen para Carmen Miranda e que fala sobre o artilheiro Leônidas da Silva (leia mais sobre o primeiro grande ídolo pop do São Paulo F.C. em um texto anterior meu, clicando aqui). Acabei conhecendo o belo trabalho de resgate de sambas antigos do Marcos. O show em homenagem a Carmen Miranda é neste sábado, dia 14, às 20h, no Museu Carmen Miranda, no Aterro do Flamengo. Vai rolar “Deixa Falar”. E é de graça!