“30 Gols Históricos do Rubro-Negro”

Publicado originalmente em abril de 2010

Aproveito a reta final do Estadual do Rio para voltar a falar da coleção de CDs lançados pela rádio Globo do Rio com gols históricos dos 4 maiores times da Cidade Maravilhosa. “30 Gols Históricos Rubro-Negros” começa com um gol de Zico no Brasileiro de 74 e termina com um de Adriano já na Libertadores 2010. Estão aqui gols da Libertadores e do Mundial de 81… dos Brasileirões vencidos pelo Flamengo – o de 92, contra o Bota, representado por um tento da 1ª partida decisiva de “Ju… Ju… Júnior”, na voz de José Carlos Araújo – e de estaduais, como o de 2009, quando o rubro-negro faturou seu 5º tri estadual -representado por gols de Kléberson no tempo normal e na cobrança de pênaltis, seguido pela defesa de Bruno. E o saudoso Jorge Curi quase perde a voz para narrar o “golaço aço aço” de Andrade, “camisa meia dúzia”, o sexto no jogo da revanche, quando o Flamengo devolveu ao Botafogo os 6×0 de 1972. Foi um golaço aço aço, mesmo, Curi. Ouça um teaser promocional dos CDs lançados pela 1220.

Gols históricos. Narrações para sempre.

Publicado em 3 de abril de 2010

http://www.radioglobo.com.br

– Vai marcar, apontou, atirou, entrooou!!!
– Que lindo!
– Golaço, aço, aço! Camisa número 10!
– Golão, golão, golão!
– Gooolll legal!
Indivíduos competentes esses radialistas!
Quando eram decorridos 90 dias de 2010, a rádio Globo do Rio lançou, numa promoção com o jornal Extra, quatro CDs com narrações clássicas de gols decisivos na história dos quatro maiores clubes do Rio, nas vozes de Jorge Cury, José Carlos Araújo,  Waldir Amaral, Antonio Porto, Celso Garcia (descobridor de Zico), Doalcei Camargo, Edson Mauro, Evaldo José e Gilson Ricardo – e quando disponíveis, comentários de Mário Vianna   “carimbando” os tentos. Um rápido resumo, porque quero voltar ao tema, com mais calma:

Os CDs foram produzidos pela rádio Globo do Rio e infelizmente não são mais encontrados em bancas do Rio. As narrações do acervo da rádio são contextualizadas pelo locutor Evaldo José. Tomara que o pessoal da rádio Globo de São Paulo pegue essa onda. Seria demais ouvir (de novo ou pela primeira vez) gols clássicos dos quatro maiores clubes paulistas nas vozes de Osmar Santos, o pai da matéria, Oscar Ulisses, Oswaldo Maciel, Reinaldo Costa, Braga Júnior, Silva Júnior e muitos outros. Quem sabe, a Globo do Rio não lança depois mais um CD, com os gols históricos da Seleção Brasileira?
Agora, um teste pra ver se você manja de rádio esportivo mesmo. De quem são as vozes que costumam ou costumavam dizer os “bordões” que abrem este texto? Tá fácil!

– Vai marcar, apontou, atirou, entrooou!!!
– Que lindo!
– Golaço, aço, aço! Camisa número 10!
– Gooolll legal!
– Indivíduo competente este garoto…

LINKS INTERESSANTES:

Atualizando em 2011: pessoal, fiquei sabendo que infelizmente não há mais estoque de CDs. Agora, só com muita com sorte, em sebos.

A ERA DO RÁDIO esportivo brasileiro

Ouvir emocionantes transmissões de rádio é o jeito de acompanhar uma rodada se você está na estrada. Sempre que isso acontece, lembro dos meus tempos de garoto louquinho for futebol, tentando ouvir rádios de outros estados em AM ou ondas curtas, numa era sem internet, muito menos PPV. Até vi o primeiro gol do Flamengo. Emerson, o sheik. Deu para ver ainda o segundo, também do Emerson. Mandei até torpedo para amigo flamenguista: “dá-lhe Sheik”. Depois, peguei meu caminho e segui ouvindo as rádios Globo-CBN, que no Rio agora transmitem futebol em dobradinha, ou melhor, em três frequências (AM 1220 e 860 Khz e FM 92,5 Mhz). O que eu não esperava era que o excelente locutor Evaldo José narraria QUE LINDOOO! -o grito de gol dele- seis vezes em 34 minutos de jogo. Quatro gols do Sport em 8 minutos. Quem poderia imaginar que o Sport viraria esse jogo? E assim terminou: 4 a 2 pro novo time treinado por Emerson Leão – alguém aí se lembra da blitz são-paulina contra o São Caetano, na continuação do jogo que parou por causa da morte do zagueiro Serginho, lá se vão quase 5 anos? Os sinais de emissoras paulistanas como Pan, Band, Globo, CBN… ainda estava fracos na estrada, mas deu para saber que o Palmeiras ganhou de virada do Vitória no Palestra Itália. Seis e meia da tarde.

Magrão abriu o placar em BH. FOTO: divulgação: VIPCOMM
Magrão abriu o placar em BH. FOTO: divulgação: VIPCOMM

Hora de acompanhar o grande clássico da rodada, entre o Cruzeiro e o líder Internacional, até então 100% no Brasileiro. Pela rádio Gaúcha (impressionante como dá para ouvir a 600 Khz de POA à noite na cidade de S.Paulo!), ouvi o primeiro gol do Inter (Magrão). Também fiquei sabendo que Lauro, goleiro do Inter, e Kléber, esquentado atacante cruzeirense brigaram e foram expulsos (será que vem punição?). Depois, mudei para a Globo-CBN do Rio, onde José Carlos Araújo transmitiu o clássico-vovô. Não sabia que agora a rádio apresenta os hinos cariocas como o do Flu e Bota em versão para guitarra. Demais. No segundo tempo, Wellington Paulista empatou pro Cruzeiro. 1×1.

Wellington Paulista empatou. FOTO: Washington Alves VIPCOMM
Wellington Paulista empatou. FOTO: Washington Alves VIPCOMM

O Colorado não é mais 100%, mas segue invicto e lidera com 2 pontos mais que o Galo! Que goleou o Furacão no clássico atleticano da Baixada: 4×0 (o que custou o emprego de Geninho). Enquanto isso, no Maraca, Fred marcou no finalzinho e deu a vitória pro Flu. Tudo isso -e resgate de mais corpos do voo 447 – fiquei sabendo via AM ou FM. Longa vida ao rádio esportivo brasileiro!

UMA DICA PARA QUEM SE AMARRA EM NARRAÇÃO DE RÁDIO. A SALA DE GOLS DO Museu do Futebol (clique), em São Paulo, TEM UMA PENCA DE ÁUDIOS DE LOCUTORES CLÁSSICOS, COM GRAFISMOS MANEIRÍSSIMOS ANIMANDO AINDA MAIS AS GRANDES JOGADAS DESCRITAS.

Leia também: CURIOSAS CANÇÕES COM NARRAÇÕES DE GOLS.