Fonte das goleadas

Poster oficial de Salvador, cidade-sede da Copa 2014

Poster oficial de Salvador, cidade-sede da Copa 2014

Espanha 1×5 Holanda.
Alemanha 4×0 Portugal.
Suíça 2×5 França.

Três jogos de Copa na Fonte Nova, em Salvador. Três goleadas. 17 gols. Média de quase 5,7 gols por partida. Coisa dos orixás da bola.

“Baía de Todos-os-Gols”, ouvi o locutor Jota Júnior dizer, no Sportv, numa referência à Baía de Todos-os-Santos.

Atenção, então, para os próximos jogos por lá. Continuar lendo

Espanha 1×5 Holanda

Poster oficial de Salvador, cidade-sede da Copa 2014

Poster oficial de Salvador, cidade-sede da Copa 2014

“Manita” da Laranja Mecânica sobre La Roja na Fonte Nova.

#Manita é o termo do futbolês na Espanha para placares de 5 gols (uma mão cheia de gols). Como o massacre que a Laranja Mecânica de Robben (monstro!), Sneijder, Van Persie (que gol foi aquele !? Gol Cirque du Soleil!) e jovem companhia impôs à La Roja, atual campeã, numa tarde para Casillas esquecer. E o mundo se lembrar, especialmente do segundo tempo em que a laranja (de azul) botou a vermelha (de branco) no carrossel.

O site do jornal esportivo “Mundo Deportivo“, editado em castelhano em Barcelona, preferiu dizer:

Manotazo de Holanda a la campeona”

O “Marca“, de Madri, manchetou:

Humillación Mundial”

O jornalaço “El País” (sediado em Madri) também falou em humilhação.

Holanda humilla a la campeona”

… assim como o site do “La Vanguardia“, publicado em Barcelona:

Humillante venganza de Holanda”.

Vergonha, para o “El Periódico”, tambṕem da Catalunha:

Vergonzosa derrota de España ante Holanda”

E o site do “Sport“, de Barcelona.

España vive sua peor pesadilla”

O “As”, de Madri, foi pela mesma linha.

La peor pesadilla del campeón”

Espanha campeã do mundo!

Publicado em 11 de julho de 2010

Capa do MARCA, de Madri

Da Espanha ao céu - manchete do AS.

Na Argentina, o OLÉ pediu que os campeões sigam tocando a bola.

¡Campeones!
Casillas (Real Madrid) – capitão, eleito “O” goleiro da Copa. Sérgio Ramos (Real Madrid). PuyolPiqué (Barcelona). Capdevilla (Villareal). Xabi Alonso (Real Madrid). Busquets Xavi (Barcelona). Villa (ex-Valencia, já apresentado pelo Barça). Pedro (Barcelona). Navas (Sevilla). Torres (Liverpool). Fàbregas (Arsenal). Albiol e Arbeloa (Real), Marchena, Mata e David Silva (Valencia), Valdés (Barça), Llorente e Martinez (Athletic Bilbao), Reina (Liverpool) e, claro, Iniesta (Barcelona) e o bonachão Vicente Del Bosque são os legítimos campeões do mundo em 2010, depois de faturar também a Euro 2008.

Andrés Iniesta, nascido em Fuentealbilla, na província de Albacete, na comunidade de Castilla-La Mancha, ídolo do Barcelona, autor do único gol da nervosa decisão contra a Holanda, já no 2º tempo da prorrogação, foi eleito o melhor em campo. A segunda final europeia seguida em Copas foi amarrada, pegada, violenta demais. Ganhou quem jogou mais. A Espanha, que abusou um pouco do direito de perder chances. Nas duas maiores oportunidades holandesas, Robben esbarrou em Casillas, gigante.

E essa Holanda, hein? Só mesmo o excesso de nervosismo, talvez uma mistura de já-ganhou com revanchismo e vocês-vão-ter-que-me-engolir antes da hora pode explicar a derrota de uma seleção brasileira com uma defesa considerada excelente e jogadores como Kaká e Robinho para esse time laranja, que dá saudade dos tempos de Gullit, Van Basten e Rikjaard e da Laranja Mecânica de 78, para não falar do Carrossel Holandês de Cruyff. Bate demais da conta essa Holanda. Ainda bem que a Espanha ficou com a taça.

Flâmula do "Jabuca" fabricada por AMW, em Santos

Inspirado por uma reportagem de André Argolo na ESPN Brasil, também publico a maneiríssima flâmula do Jabaquara Atlético Clube, o Jabuca, que nasceu Hespanha Foot Ball Club em 15/11/1914 – foi um dos fundadores da Federação Paulista de Futebol. Durante a Segunda Guerra, o Hespanha passou a se chamar Jabaquara, nome do bairro de Santos onde o clube foi criado. E o estádio do Jabuca chama-se Espanha até hoje.

Aqui dentro do post, as manchetes onlines da hora do título e a campanha da Roja desde as Eliminatórias. Continuar lendo