# Maradona 50

amando a maradona No supersábado de futebol no Brasil, Espanha, Inglaterra… dobradinhas de Cristiano Ronaldo, Messi, Villa, gol e assistência de Loco Abreu, parabéns para um nota 10 nos gramados. Diego Armando Maradona. Coletei dicas de filmes, músicas e livros sobre o segundo maior jogador dos últimos tempos. Continue lendo

Enquete: terceiros uniformes

É uma fonte de renda para os clubes – e que fonte! Em outubro de 2010, dois clubes paulistas lançaram camisas alternativas.

O Palmeiras estreou contra o Goiás no Brasileirão 2010 um terceiro uniforme, como a imagem acima, com listras em dois tons de verde e gola polo.

Foto: Wander Roberto VIPCOMM

Em outubro/2010, na mesma Arena Barueri, o São Paulo entrou em campo com o que chama de camisa do torcedor, um modelo retrô inspirado num uniforme do clube de 1940. O da seleção paulista também é uma referência. E nas costas há um selo dos 75 anos do São Paulo (re)fundado em 1935. Como o estatuto do tricolor não permite que o time jogue com outro uniforme que não o 1 e o 2, só Rogério Ceni (700 vezes capitão) atuou com a novidade na suada vitória contra o Atlético-PR (2×1). Tem gente que gostou, tem gente que não aprovou. Mas não deixa de ser curiosa. Veja mais fotos dentro do post. Continue lendo

Carlos Drummond de Andrade, “Quando É Dia de Futebol”

Atualizado em 24 de fevereiro de 2014

“O difícil, o extraordinário, não é fazer mil gols, como Pelé. É fazer um gol como Pelé”.

Carlos Drummond de Andrade, em “Pelé 1.000″, Jornal do Brasil, 28/10/1969

http://www.companhiadasletras.com.br/

companhiadasletras.com.br/

Craques nascidos em outubro  - Garrincha, Pelé e Maradona - são personagens do livro Quando É Dia de Futebol , que reúne poemas, crônicas e até cartas em que o poeta mineiro fala do “esporte bretão” – e agora é relançado pela Companhia das Letras, depois de um tempo fora de catálogo. O livro foi organizado por netos de CDA, Luis Mauricio e Pedro Augusto Graña Drummond. Eles vasculharam os arquivos do avô e bibliotecas para compilar os textos, que revelam um poeta bastante inteirado sobre o dia a dia do futebol. Drummond também era um torcedor apaixonado.
Escolheu o Vasco, porque foi o primeiro grande clube carioca a contratar jogadores negros.  Há textos sobre as Copas de 54, 58, 62, 66 (publicadas no Correio da Manhã). 70, 74, 78, 82 e 86 (publicadas no Jornal do Brasil). Garrincha e Pelé ganham capítulos especiais.  Continue lendo

Choro das 3. “Um a Zero”, de goleada.

No meio de um grande 2010 para shows de rock, o post mais lido do ano até agora da Coluna de Música do FutPopClube é sobre chorinho: um perfil do grupo Choro das 3. Sempre com o pai no pandeiro, as meninas estarão nesta quinta-feira na universidade Anhembi-Morumbi, em São Paulo. São dois horários: às 20h30, um workshop; e às 21h30, um pocket-show. Tudo de graça, no campus Roque Petroni Júnior da universidade. Confira abaixo o texto  da Coluna de Música publicado no começo do ano.

Eduardo, o pai, no pandeiro; Corina, Elisa e Lia. O grupo Choro das 3. FOTO: Cristina Meyer/divulgação

Feijoada tradicional no verão. De repente, escuto uma sensacional versão de “Um a Zero“, clássico do choro, de Pixinguinha e Benedito Lacerda. Tão boa que mentalmente fui cantando a letra feita pelo Nelson Angelo. Era um show do grupo Choro das 3que toca clássicos do gênero e chorinhos de própria lavra, como no CD de estreia pela Som Livre, “Meu Brasil Brasileiro“. Convidei o conjunto para preencher uma fichinha tipo consumidor cultural. E as irmãs Corina (flauta), Lia (violão) e Elisa Meyer (bandolim), mais o pai, Eduardo Roque, no pandeiro, deram uma goleada de conhecimento musical. Família afinada, aponta com quase unanimidade que o melhor show do grupo foi na Virada Cultural Paulista, em 2009. Também gostei de saber que o pai guarda na memória o show do Queen no estádio do Morumbi, começo dos 80, como o melhor que já viu. Abaixo, as respostas de cada um dos integrantes. Continue lendo

Uma seleção do mundo

Casillas, Julio Cesar, Maicon, Daniel Alves, Lahm, Puyol, Xavi, Xabi Alonso, Iniesta, Fabregas, Sneijder, Özil, Schweinsteiger, Cristiano Ronaldo, Diego Forlán, Robben, Messi, Klose, Thomas Müller, Drogba, Gyan, Eto´o e Villa Maravilla.
Uma seleção da última Copa do Mundo diz presente na pré-lista dos 23 que concorrem à Bola de Ouro 2010, agora oferecida em conjunto pela Fifa e France Football. Em 6 de dezembro, serão anunciados os 3 finalistas. E em 10 de janeiro, o grande vencedor. No feminino, pode dar Marta.
Só faltaram a musa Larissa Riquelme, a Jabulani e a Vuvuzela…

Tri Mundial

Publicado em outubro de 2010
Rogério Ceni, Fabão, Lugano, Edcarlos, Cicinho, Mineiro, Josué, Júnior, Danilo, Amoroso e Aloísio (depois Grafite).

São-paulino, esse time dá saudade, não dá? Em 18 de dezembro, o tricolor comemora o aniversário do tricampeonato mundial de clubes: aquela dramática “goleada de um a zero” contra Gerrard e a forte armada espanhola do Liverpool comandado por Rafa Benítez, em 2005. E o Daniel Perrone, que publica o Blog do Torcedor do São Paulo no globoesporte.com,  escreveu seu relato da conquista: o livro Tri Mundial(Editorama). Olha o Blatter aplaudindo o São Paulo! Acima dele, o meio-campo Denílson. Continue lendo

Buddy Guy 7.4

Dica do amigo Serginho, do programa Rock Flu. Saiu lá fora nesta terça-feira, 26 de outubro, o novo disco do Pelé do blues, Buddy Guy. Senhor guitarrista, senhor cantor! Living Proof conta com canjas do rei do blues, BB King, em Stay Around a Little Longer, que já ganhou clip, e de Carlos Santana, em Where the Blues Begins – parafraseando o grande Geraldo José de Almeida: linda, linda, linda. Continue lendo

Rodada Pelé. Ou rodada Obina?

Eis que o time em que Pelé adorava marcar gols se deu bem na rodada em homenagem ao rei do futebol, num domingão cheio de clássicos, aqui e lá fora. O Corinthians ganhou o derby paulistano, em tarde de Júlio César, que pegou até pensamento. O então líder Cruzeiro perdeu do Galo, em tarde/noite de Obina, que faz um hat-trick, triplete. Três vezes Obina. Mais um clássico com 4×3 no placar! Menos mal para o Fluminense, que poderia ter disparado, mas ainda conseguiu buscar o empate na Arena da Baixada, alçapão do Atlético Paranaense. Empate no Gre-Nal empatado. Derrota do São Paulo no Ceará (ver post anterior). Virada do Prudente sobre Santos, na Vila. Rodada corintiana. Mas como o Brasileirão 2010 equilibradíssimo se caracteriza por um perde-e-ganha danado, vamos ver com quantas cores se pintará a próxima rodada.

7x10. Selo comemorativo do aniversário do rei Pelé na camisa do Peixe. FOTO Ricardo Saibun FLICKR do Santos

Selo na camisa do Santos: 7×10. Boa! Por falar em 10, o que foi a goleada do PSV Eindhoven sobre o Feyenoord, no campeonato holandês? 10×0! Três gols do mineirinho Jonathan Reis, que ganha fotinho aqui no blog. Hat-trick de Jonathan Reis, triplete de Obina, o que dizer de Cristiano Ronaldo? Fez a quadra, no 6×1 do Real Madrid sobre o . Na Espanha, estão rebatizando CR de CR4…

  • Num clássico pela Premier League,  o Arsenal deu um chocolate no Manchester City, no estádio City of Manchester. 3×0. Impactante vitória fora de casa.
  • No sábado de Pelé 70, 7.0, 7×10… tive a oportunidade de ver alguns filmes/vídeos sobre o Rei.
  1. O Museu do Futebol começou a tarde exibindo Uma História de Futebol, sobre a infância do menino Dico. Emocionante.
  2. Depois, a “websérie” que promoveu o lançamento do livro Pelé 70- vários depoimentos sobre o Rei. Destaque para o episódio em que o jornalista Michel Laurence conta a história “O Autógrafo” (veja o vídeo aqui).
  3. Em seguida, devo confessar que me comovi ao ver na íntegra o institucional 1.284 – O Último Gol de Pelé. OK, já rola na internet antes da Copa 2010, parte da campanha da Vivo, patrocinadora da seleção, mas sei lá. Talçvez pela data, talvez por ver como num cinema. E é cinema, produção da )2 Filmes. Se ainda não viu esta ficção, veja aqui.
  4. Por último, um documentário feito antes da despedida do Santos. Isto É Pelé. Nos tempos de fitas VHS, foi um sucesso, mas vacilei e não comprei. Depoimento do Camisa 10 em pessoa, que até ensina a bater na bola e a cabecear, e muitos, muitos gols. Destaque para os preciosos lances das Copas de 58, 62, 66 e 70. Nem só de Pelé Eterno vive a cinematografia sobre o atleta do século.

Todos os 114 gols de Rogério Ceni. 14 na história da Copa Libertadores.

Atualizado em fevereiro/2014

Gol 109, em Campinas, fevereiro de 2013. FOTO Rubens Chiri / SaoPauloFC.net

Gol 109, em Campinas, fevereiro de 2013. FOTO Rubens Chiri / SaoPauloFC.net

Goleiro-alegria, no dia do 100º! FOTO Wagner Carmo/Inovafoto/Vipcomm

Os 112 gols de Rogério Ceni… como foram marcados, em que campeonatos e estádios e as “vítimas”. Continue lendo

Pelé e o Memorial das Conquistas do Santos

Publicado originalmente em 23/10/2010

Este slideshow necessita de JavaScript.

Continue lendo